sábado, 06 de março de 2021

Websérie
Compartilhar:

Websérie apresentada por Lucy Alves contará histórias de sanfoneiros

Marianna Vieira / 07 de junho de 2017
Foto: Tarso Mattos / Divulgação
A história do músico ícone do forró e a tradição da sanfona de oito baixos são temas de uma websérie que será exibida em três capítulos ao longo deste mês de junho e que apresenta a Orquestra Sanfônica de Exu. O CORREIO acompanhou a estreia da orquestra, com a participação de sanfoneiros de todo o Nordeste, na cidade natal de Luiz Gonzaga, em Pernambuco, no dia 21 de maio.

A gravação contou com as participações da cantora paraibana Lucy Alves, que protagoniza a série, e dos maestros sanfoneiros Luiz Calixto e Targino Gondim, além do sobrinho de Luiz Gonzaga, Joquinha Gonzaga.

“Tio Gonzaga foi quem começou a me incentivar, me levava para os shows e, num certo momento, me apresentava. Quando eu tinha uns 22 anos, ao sair do Exército, passei a viajar com ele e fiquei”, lembrou o também sanfoneiro.

Mais de 80 pessoas estão envolvidas diretamente no projeto, que tem assinatura da agência Ideia 3 e produção da Malagueta Filmes para o Boticário, que via exibir a série em seus canais na internet.

“São três episódios com cerca de um minuto e meio de duração cada", explica o diretor da série, Giovanni Lima. "O primeiro é uma abertura, onde contamos a história de Luiz Gonzaga e a valorização da sanfona, na voz de Lucy Alves, explicando como o projeto foi pensado. O segundo mostra como tudo foi feito: as pessoas chegando, a definição das músicas do repertório, os ensaios e a preparação do palco, sempre com o off de Lucy conduzindo.

E o terceiro episódio é o show. Entre esses episódios, teremos alguns depoimentos de pessoas que ajudarão a contar a história”.

Participações

Lucy Alves, que vai ser uma das atrações do Palco Sunset do Rock in Rio 2017, falou sobre a intimidade com a obra de Gonzagão. “Escuto Luiz Gonzaga desde a barriga da minha mãe. Meus pais são do Sertão da Paraíba, tenho tios sanfoneiros, o meu bisavô tocava o fole de oito baixos como Januário, o pai de Gonzaga", conta. "Eu comecei tocando sanfona de 80 baixos com 16 anos e, hoje, me apresento com a de 120, então é bem emocionante contar essa história. É muito legal ver essa iniciativa de querer levar para o mundo um projeto arrojado, de muito bom gosto, e com participação das pessoas que são daqui do Nordeste".

“Fui convidado para participar desse projeto e aceitei, porque tudo o que envolve a obra de Luiz Gonzaga me interessa", diz Targino Gondim, autor de "Esperando na janela". "Eu considero que o forró, assim como o samba, são as grandes matrizes da música brasileira, trazem à tona o Brasil de verdade".

A websérie que vai mostrar a paixão da família Gonzaga pela sanfona é, ainda, enriquecida com depoimentos de familiares de Gonzagão, de participantes do projeto e dos exuenses extasiados com a homenagem que parou a cidade.

Relacionadas