sábado, 06 de março de 2021

Violência
Compartilhar:

SES faz atendimento a 80 pessoas violentadas apenas no primeiro semestre de 2017

Wênia Bandeira e Katiana Ramos / 13 de julho de 2017
Foto: Reprodução
Pelo menos três mulheres foram estupradas por semana na Paraíba, entre crianças, adolescentes e adultas. O número é referente apenas aos dados coletados pela Secretaria Estadual de Saúde (SES), que somou atendimento a 80 vítimas com esse perfil no Estado, nos últimos seis meses. Apesar de menor do que o total de casos do ano passado (123 pessoas), o número é preocupante e reflete a realidade de abusos ainda obscura enfrentada por muitas mulheres. Na última terça-feira, duas crianças de 11 anos foram estupradas e o acusado é um sargento da Polícia Militar (PM) de Sousa, no Sertão.

O acusado foi preso e confirmou que namorava uma das meninas. De acordo com o delegado seccional de Sousa, Sylvio Rabelo, o policial afirmou que mantinha o relacionamento amoroso com a criança em segredo. Ele ainda confessou ao delegado que namorava a garota há cerca de três meses e que tinha feito sexo com ela. Foi feito um exame sexológico na menina, que comprovou a conjunção carnal. A polícia acredita que a outra garota, que estava na companhia do policial e da menina, assistiu ao ato, o que configura também estupro de vulnerável. Na última terça-feira (11) as duas meninas desapareceram e a vítima da violência sexual postou uma foto de dentro de um carro em tom de brincadeira. “Os pais começaram a procurar em bares da cidade e não encontraram. Quando as meninas chegaram a suas casas, elas disseram que estavam em um quarto de motel com o policial militar”, contou Sylvio Rabelo. O acusado está no alojamento do sexto Batalhão da PM, em Cajazeiras, à disposição da Justiça. Ele deve ser indiciado por duplo estupro e será também alvo de sindicância seguindo o Código Militar.

Pastor é acusado

Outra vítima de estupro cujo acusado também foi preso é um adolescente de 14 anos e com problemas mentais, que mora em Coremas, a 390 quilômetros de João Pessoa. De acordo com a Polícia Civil (PC), o autor do crime é pastor de uma igreja que era frequentada pelo jovem. Segundo o delegado Glauber Fontes, o garoto costumava frequentar uma igreja evangélica com a avó, mas na última terça-feira, disse que não queria mais ir aos cultos. Ele relatou todo o crime para a avó e para a polícia. O pastor, Leandro da Silva Pessoa, segundo a PC, havia levado o garoto para sua casa por duas vezes, onde aconteceu o ato. Ele será indiciado por estupro de vulnerável.

Relacionadas