sábado, 05 de dezembro de 2020

Saúde
Compartilhar:

Primavera é a estação das flores e das alergias que aumentam com o pólen

Lucilene Meireles / 05 de outubro de 2018
Foto: Reprodução
A primavera é a estação das flores, que embelezam a cidade e trazem um colorido especial. Porém, para os alérgicos, que são cerca de 30% da população, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), é uma das épocas mais complicadas. O pólen acaba aumentando a incidência de problemas como a rinite alérgica que afeta entre 10% e 25% das pessoas no país, com base em dados do Ministério da Saúde.

“Isso acontece porque, nesse período do ano, o tempo fica mais seco e a polinização do ar aumenta”, explicou a otorrinolaringologista Maura Neves, do Hospital Universitário da Universidade de São Paulo (USP). Ela acrescentou que, como o pólen é alérgeno para algumas pessoas, sintomas como coriza, coceira no nariz e espirros podem aumentar nesse período do ano.

O ar mais seco, típico da primavera, segundo ela, prejudica os batimentos ciliares, que são o mecanismo de defesa do nariz. “A mucosa nasal é dotada de milhões de cílios, que compõem uma espécie de tapete protetor, capaz de eliminar as impurezas que respiramos”. O ressecamento do muco nasal pelas condições climáticas, poluição e até exposição ao ar-condicionado atrapalha os movimentos dos cílios e a remoção de alérgenos e microrganismos causadores de alergias, gripes e resfriados.

O aposentado José Neto está entre os que sentem os efeitos da estação. As crises de espirro e coriza têm sido bem constantes. “Tenho rinite e sou alérgico a uma série de medicamentos. Mudanças de clima sempre causam crises e eu sofro muito com os sintomas”, contou.

Crianças e idosos

As pessoas mais jovens e as mais velhas têm mais risco de desenvolver alergias, e os alérgicos são mais susceptíveis às alergias oculares.

“Normalmente, quem tem rinite, bronquite e asma é mais propenso a ter alergias oculares. Para eles, a atenção à higiene deve ser maior, além de evitarem alguns ou todos os tipos de flores,”disse a oftalmologista Ana Paula Canto.

A otorrinolaringologista Maura Neves afirmou que alguns estudos apontam que crianças entre 1 e 3 anos de idade podem ter de 5 a 11 infecções virais respiratórias por ano. Daí a importância dos cuidados diários com o nariz. Para fazer a limpeza nasal, é preciso usar os jatos para cada idade.

“Para os bebês, indica-se os sprays mais delicados e que possam ser aplicados em qualquer posição. A partir de 1 ano, já é possível fazer a lavagem nasal com soluções salinas em jato, com anatomia apropriada para o nariz infantil”, orientou a otorrinolaringologista.

Respirando bem

Para proteger o nariz durante todo o ano, deve ser feita a limpeza nasal diária com soluções salinas a 0,9% pela manhã e à noite.

A lavagem nasal é capaz de acelerar a recuperação nos períodos de crise e reduzir em até 40% a incidência de gripes e resfriados.

Soluções em gel são indicadas para hidratar o nariz quando houver sensação de ressecamento, que é comum em períodos de estiagem ou quando se passa muito tempo em ambientes climatizados.

Outra dica é melhorar a umidade relativa do ambiente com o uso de umidificadores elétricos, principalmente na hora de dormir.

Relacionadas