quarta, 23 de setembro de 2020

Política
Compartilhar:

Vinte licenças em menos de dois anos na ALPB

Mislene Santos / 07 de dezembro de 2016
Foto: Arquivo
O tabuleiro do xadrez político da Assembleia Legislativa Paraíba se movimentou bastante nesta legislatura. Até o momento, de acordo com a Secretaria Legislativa da Casa, os deputados tiraram mais de 20 licenças. Tudo isso, salvo raras exceções, para passar a titularidade aos suplentes. Alguns lances foram acordados ainda durante o período eleitoral, outros se definiram após minuciosas análises dos benefícios que cada jogada ofereceria para o licenciado e seus aliados.

De acordo com levantamento feito pela Secretaria Legislativa da Casa, pelo menos 18 dos 36 (50%) deputados já recorreram às licenças para realizar tratamento de saúde, o que dá direito à remuneração, ou para resolverem questões particulares, esta sem vencimentos. Porém, o número exato de licenças pode ser bem maior, pois o mesmo parlamentar já chegou a tirar mais de uma licença. Este é o caso de Ricardo Marcelo (PMDB) que até o momento já se afastou quatro vezes fazendo com que Antônio Mineral (PSDB) ficasse na Casa.

Para o líder da oposição na Assembleia, deputado Renato Gadelha (PSC), houve um excesso de suplentes assumindo a titularidade do mandado. Questionado se as licenças teriam se tornado uma moeda de troca na Casa, Gadelha disse que não poderia fazer esta classificação e colocou a responsabilidade desta análise na Mesa Diretora.

“Essa é uma questão para a Mesa Diretora avaliar os motivos de cada um, pois a licença é um direito que o parlamentar tem. Porém, vimos que muitos suplentes aliados do governo, principalmente de João Pessoa, para reforçar a base do governo visando à eleição que passou”, comentou Renato Gadelha.

Licenciados    

Os deputados que se afastaram temporariamente da Assembleia foram Trócolli Junior (PSB), para assumir Secretaria de Articulação Política Estadual e dar espaço Olenka Maranhão (PMDB). João Henrique se licenciou para tratamento de saúde e interesse particular e ficou sem remuneração. Em seu lugar assumiu Artur Filho (PRTB).

Também se afastaram temporariamente da Assembleia Branco Mendes. Em 2015, Ricardo Barbosa tirou uma licença de 90 dias, sem suplente.

Deputados                                                                   Suplentes

Tião Gomes (PSL)                                                 Charles Camaranse (PSL)

Ricardo Marcelo (PMDB)                                   Antônio Mineral (PSDB)

Lindolfo Pires (Pros)                                           Hervázio Bezerra (PSB)

Jeová Campos (PSB)                                           Arthur Filho (PRTB)

Bruno Cunha Lima (PSDB)                                Suplente não assumiu

Trócolli Junior (Pros)                                          Olenka Maranhão (PMDB)

João Henrique (DEM)                                        Arthur Filho (PRTB)

Manoel Ludgério                                                 Emano Santos (PTN)

Buba Germano (PSB)                                         Raoni Mendes (DEM)

Doda de Tião (PTB)                                             Jullys Roberto (PMDB)

Inácio Falcão (PT do B)                                      Emano Santos (PTN)

Tovar Correio Lima (PSDB)                               Jullys Roberto (PMDB)

Janduy Carneiro (PTN)                                      Emano Santos (PTN)

Edmilson Soares                                                   Suplente não assumiu

Arthur Filho (PRTB)                                            Raoni Mendes (DEM)

Ricardo Barbosa (PSB)                                        Arthur Filho (PRTB)

Branco Mendes                                                     Antônio Mineral (PSDB)

 

 

Relacionadas