sexta, 26 de fevereiro de 2021

Política
Compartilhar:

Veneziano fica no PMDB, mas não descarta mudança

Francisco Varela Neto / 24 de julho de 2017
Foto: Francisco Varela Neto
O deputado federal Veneziano Vital do Rêgo (PMDB) afirmou que, atualmente, não existem condicionantes para sua saída do PMDB, mas não descartou por completo essa possibilidade. As especulações sobre isso se uniram a outro boato de que ele só ficaria na legenda se o senador José Maranhão (PMDB) se entendesse em definitivo com o governador do Estado, Ricardo Coutinho (PSB). Veneziano apóia Ricardo publicamente.

"Nós não estabelecemos condicionantes. Primeiro: a intenção não é em deixar o partido. Vamos aqui colocar como de fato é a realidade e o sentimento pessoal. A minha intenção é a de permanecer no PMDB, agora, eu não posso antecipar um processo que só vai ter data definida para sua conclusão em abril de 2018", afirmou.

Segundo o deputado tudo dependerá do que vai ocorrer em 2018. "O desejo de permanecer é público, é registrado em permanentes ocasiões, publicamente, sempre que sou perguntado a esse respeito; agora, dependerá do quadro no qual estaremos em 2018. Se houver condições em permanecer, para mim seria, ou será, bem melhor. Caso contrário, temos por força legal de tomar novos destinos", explicou.

Candidatura própria do PMDB

Veneziano defendeu que o PMDB tenha uma candidatura própria nas eleições para governador e se o nome for o do senador José Maranhão, ele vai fazer de tudo para que ele seja eleito.

"Em março de 2017, em uma reunião que nós tivemos, o PMDB dizia sobre a oportunidade de ter o seu candidato. À época, lembrado foi, o melhor nome entre os nossos, o do senador José Maranhão. Se o PMDB tiver em José Maranhão a pretensão de disputar um mandato, já disse várias vezes que haverei de estar pleiteando apoios a Paraíba ao nosso nome, ao nome do senador José maranhão caso ele venha a ser candidato pelo PMDB", disse.

O deputado disse que se o PMDB não tiver candidato, não vê razões em não continuar apoiando o PSB do governador Ricardo Coutinho, como fez nas eleições de 2014.

"Caso o PMDB não tenha esse candidato, também nunca deixamos de registrar que nós defenderíamos a composição com o PSB, até porque fomos nós mesmos, quase a sua totalidade que em 2014, que votamos pela recondução de Ricardo, e de lá para cá não vejo eu razões para que houvesse esse estremecimento da parte do PMDB para com o Partido Socialista Brasileiro e para com o governo Ricardo Coutinho", finalizou.


Relacionadas