terça, 19 de janeiro de 2021

Transposição
Compartilhar:

Obra é do povo nordestino, diz Temer sobre paternidade da transposição

Luís Eduardo, Rammom Monte, Francisco Varela, Renata Fabrício e Gabriel Botto / 10 de março de 2017
Foto: Raniery Soares
Ás águas do Rio São Francisco já correm sem nenhum obstáculo pelo Cariri e Sertão da Paraíba e, para o presidente da República, Michel Temer (PMDB), que esteve em solo paraibano nesta sexta-feira (10), é do povo nordestino a paternidade da obra. Sem querer entrar na polêmica criada sobre qual presidente teria sido o verdadeiro realizador da tão sonhada e planejada construção, Temer disse não estar interessado na paternidade da transposição.

"Não quero a paternidade da obra. Ninguém pode tê-la”, disse, numa alusão ao ex-presidente Lula, em cujo governo foi iniciada a construção do canal. “A paternidade é do povo brasileiro e do povo nordestino. Vocês é que pagaram impostos ao longo do tempo, vocês é que permitiram que pudéssemos fazer grandes investimentos nessa obra, que cada vez mais está sendo festejada. O dinheiro público vem dos impostos. Então, quando aplicamos bilhões aqui são os senhores que pagaram", complementou acrescentando que a obra é dos tempos do império, mas só foi executada nos últimos governos.

Temer chegou à Paraíba pela manhã e primeiro foi para Campina Grande participar de cerimônia da inauguração oficial do Complexo Multimodal Aluízio Campos e assinar ordem de serviço para a triplicação da BR-230. Somente à tarde, o presidente seguiu para a cidade de Monteiro, considerada pelo Ministério da Integração (MI) o ponto final das obras do Eixo Leste da Transposição, que começa a mais de 215 quilômetros de distância dali, no Lago de Itaparica, em Floresta, Sertão de Pernambuco.

Em Monteiro, a expectativa por parte da população era enorme. Desde cedo uma multidão já acompanhava um teste realizado em um trecho da transposição na cidade.  A prefeitura decretou feriado. Aulas foram suspensas e o comércio fechou as portas para ver a transposição se concretizar.

Acompanhado por autoridades políticas e assistido por moradores, o presidente não conseguiu escapar de uma pequena manifestação de populares que com cartazes, apitos e gritos diziam "fora Temer" e "obrigado Lula". Temer, no entanto, respondeu aos manifestantes afirmando que "ao sol, mas ao fim do dia, estarão se banhando nas águas do são Francisco". Elegante, ele até brincou com a manifestação e, em seu discurso, citou Dom Hélder Câmara.  "Sou como a cana. Quanto mais eu sou moído, só consigo dar doçura".

Michel Temer afirmou ainda que Monteiro é a porta de entrada da obra na Paraíba e que ainda se emociona cada vez que visita as obras da transposição. "Cada vez que venho aqui (nas obras da Transposição) me emociono como brasileiro", declarou.

"De mãos dadas, o Velho Chico e o Rio Paraíba vão caminhar para o interior e vão estimular desenvolvimento" - Michel Temer. Presidente da República.

Ministro agradece trabalhadores



O ministro da Integração Nacional, Helder Barbalho, ressaltou em seu discurso, os vários trabalhadores que fizeram parte das obras do São Francisco dizendo que não fosse por eles a conclusão da obra não seria possível. “Aqui não tem hora pra começar, não tem hora pra terminar. Agora neste último feriado de carnaval, todos trabalhando em turno de 12 em 12 horas, trabalhando 24 horas para garantir que o prazo pudesse ser cumprido. Se não fossem os anônimos espalhados por esses 220 quilômetros, que trabalharam no sol, que trabalharam na chuva, este momento não seria possível”, disse.

Prefeita de Monteiro

A prefeita de Monteiro, Anna Lorena (DEM), lembrou a importância da obra que, para ela, irá matar a sede de milhares de paraibanos. "O que acontece hoje em nossa cidade é um sonho se tornando realidade. E essa realidade só foi possível com a junção de todos os líderes políticos do nosso Brasil sem distinção de qualquer um, com os nossos operários que trabalharam dia a dia, com a prefeitura de Monteiro fazendo a sua parte, com a bancada federal da Paraíba se unindo em prol de um bem que ira salvar e irá matar a sede de milhares de paraibanos", discursou.

Anna Lorena acrescentou essa data ficará marcada na memória de todos. "Esse sonho é nosso, é do povo, essa obra é a obra histórica do Brasil, onde hoje todos nós temos que comemorar com alegria, porque a esperança que está sendo renovada no coração dos monteirenses, caririzeiros e dos paraibanos. Agradecemos a todos que estiveram engajados com a gente nessa demanda que não foi fácil, mas está aqui. Hoje ficará guardado na memória de todos os brasileiros e não só paraibanos como um retrato na história do Brasil, onde nossos filhos e netos estudarão daqui a alguns anos", concluiu.

Ricardo Coutinho fala em Dilma e Lula

O governador do estado Ricardo Coutinho (PSB) também esteve em Monteiro acompanhado a comitiva presidencial na solenidade. O socialista iniciou seu discurso ressaltando a importância de celebrar as pessoas essenciais que fizeram parte da obra. O governador agradeceu ao senador Fernando Bezerra pela parceria entre os estados e à audácia de Ciro Gomes, a quem tratou como um "um grande brasileiro".

Ricardo citou Dilma Rousseff como pagadora de 70℅ da obra e lembrou da importância do ex-presidente Lula, fazendo o público presente na hora vibrar com sua fala. "Não poderia também, por devida justiça e por efetivamente pela verdade, deixar de me reportar ao governo da presidenta Dilma Rousseff que foi responsável por 70% do pagamento desta obra, um governo que era de muitos que aqui estão evidentemente e não deixou de ser apagado da memória, então é preciso relembrar as coisas para que a gente tenha a capacidade e a condição de poder nos situarmos perante a história. E não poderia também deixar de lembrar o presidente Luís Inácio Lula da Silva, que iniciou esta obra tão importante para o Nordeste", destacou.

"Esta obra vai mudar muito a Paraíba, esta obra vai desenvolver o nosso estado, esta obra vai mudar a cultura política, porque um povo que não precisa encontrar uma lata d´água é um povo em liberdade, e a única forma de se avançar é com o povo livre" - Ricardo Coutinho. Governador da Paraíba.

Cássio dá méritos da obra a Temer

O senador Cássio Cunha Lima (PSDB), vice-presidente do Senado Federal, foi direto ao ponto e deu a Temer o mérito pela chegada da transposição. “Muitos (presidentes) passaram, mas foi no governo de Michel Temer que a transposição virou realidade", destacou Cássio Cunha Lima. Apesar de dar o mérito ao governo de Temer, o senador lembrou também dos governos de Dilma Rousseff e Luís Inácio Lula da Silva, ambos do PT, e de Fernando Henrique Cardoso. "Fernando Henrique começou coloca no papel, Lula deu andamento e Dilma também, apesar dos atrasos, talvez por forças alheias às suas", afirmou.

Temer em Campina Grande



Michel Temer desembarcou em solo paraibano por volta das 11h, no aeroporto Presidente João Suassuna, em Campina Grande, onde participou da inauguração oficial do Complexo Multimodal Aluízio Campos. Em sua chegada, Temer fez uma visita às casas e cumprimentou e posou para fotos com  moradores e funcionários.

Depois de receber das mãos do prefeito Romero Rodrigues o título de cidadão campinense, o presidente assinou o termo de autorização para início das obras da terceira faixa da BR-230, que interliga os trechos de Cabedelo até o bairro de Oitizeiro na cidade de João Pessoa. Serão 28 quilômetros de extensão de uma obra orçada em mais de R$ 255 milhões.

O prefeito de João Pessoa, Luciano Cartaxo (PSD), destacou a importância da readequação da BR-230 para o desenvolvimento da região Metropolitana da Capital. "Não se trata apenas de uma obra de mobilidade, mas de um projeto que vai permitir a ampliação de negócios no Porto de Cabedelo e ao longo das duas margens da rodovia entre João Pessoa e Cabedelo, o que certamente também terá impacto positivo na geração de emprego e riquezas para Bayeux e Santa Rita", observou Luciano.

Romero Rodrigues

Em seu discurso, embora o assunto em Campina Grande fosse habitação e BR-230, o prefeito Romero Rodrigues também falou sobre a transposição e a polêmica da paternidade da obra. “O povo campinense, com grande emoção, comemora hoje grandes e históricas conquistas, principalmente a chegada das águas da transposição do Rio São Francisco. É uma obra sonhada desde o Império. E obviamente deve-se reconhecer a importância dos presidentes Fernando Henrique Cardoso e Lula, que iniciou a obra, e da presidente Dilma, em que pese a letargia do prosseguimento nesse último período. Sabemos que a obra pública não tem paternidade, mas é nosso dever reconhecer a agradecer ao empenho do governo Michel Temer, que não mediu esforços para acelerar o andamento e concluir essa etapa da transposição", registrou Romero Rodrigues.

 

Relacionadas