segunda, 18 de janeiro de 2021

Transposição
Compartilhar:

Ministro da Integração diz que assinará retomada do Eixo Norte na semana que vem

Renata Fabrício / 14 de abril de 2017
Foto: ANTÔNIO RONALDO
O ministro da Integração Nacional, Helder Barbalho, realizou ontem uma visita técnica ao Açude Epitácio Pessoa (Boqueirão) e ao trecho do Rio Paraíba por onde as águas do São Francisco já avançaram. Barbalho aproveitou a visita para garantir a assinatura das obras do contrato para retomada das obras do Eixo Norte já na próxima semana. Por esse eixo, as águas do São Francisco chegarão a Paraíba pela região de Cajazeiras, no Sertão.

“A nossa previsão é de que nós estejamos assinando contrato do Eixo Norte na próxima semana. Já concluímos o processo de licitação, e estamos apenas respeitando os prazos para a assinatura do contrato. Já comunicamos a empresa que a mesma possa apresentar suas documentações e garantias para iniciar a ordem de serviço. Da mesma forma que havia pressa de que esta região necessitava de água, no Eixo Norte não é diferente. Ceará, região Oeste da Paraíba, Rio Grande do Norte e Pernambuco precisam que o quanto antes as obras daquele eixo estejam acontecendo”, ressaltou.

Já era início da noite quando uma comitiva do Ministério e de senadores paraibanos e os prefeitos de Boqueirão e Campina Grande chegaram à comunidade Riacho Fundo, em Barra de São Miguel, para recepcionar as águas da Transposição.

Juntos, eles entraram no rio e molharam os pés, sentindo a chegada das águas do Velho Chico. Helder Barbalho tirou selfie no curso do rio, e chegou a perder os sapatos, que foram encontrados cerca de 20 minutos depois por um assessor.

O rio ainda deve percorrer pouco mais de 10 quilômetros até encontrar a última lâmina d’água do Boqueirão, no sítio Mirador.

Na Páscoa. A expectativa para o encontro das águas é para o próximo domingo. O minitro destacou que “na bacia do Boqueirão a água já está”. “Ainda temos para frente cerca de 15 quilômetros até o encontro com o espelho atual do Boqueirão, e a nossa previsão, já que as águas vinham num determinado curso a 12 quilômetros por dia, porém nessa reta final, em face da densidade arenosa dessa região e algumas perdas d’água, passamos para 4 quilômetros por dia, isso nos permite dizer que estaremos sábado ou, no mais tardar, no domingo, não só festejando a Páscoa com as famílias, mas acima de tudo a chegada das águas”, explicou o ministro.

Revisão do racionamento em CG

O prefeito Romero Rodrigues aproveitou o momento para pedir uma revisão, por parte da Companhia de Água e Esgoto da Paraíba (Cagepa), no racionamento que abrange Campina Grande e outras 18 cidades.

“O volume de água é muito grande e significa dizer que se tiver a vontade da Cagepa, já a partir da próxima semana, pode cessar o racionamento em Campina Grande. Pois se está chegando água e o problema do racionamento era uma questão preventiva, para evitar o estrangulamento do abastecimento, significa dizer que agora não tem mais porque maltratar a população com um abastecimento severo, aonde às vezes chega uma vez ou duas por semana. Conversei com técnicos do Ministério e não há mais necessidade. O São Francisco está chegando num volume muito maior que a necessidade de Campina e de toda região”, opinou o prefeito.

A empolgação com a água do São Francisco, que ainda nem chegou ao chamado “balde” do Açude Epitácio Pessoa, também fez com que o prefeito de Boqueirão, João Paulo II, pleiteasse a licença de outorga para os irrigantes da região, que somam mais de 3 mil.

“O objetivo é voltar a desenvolver e crescer. É uma coisa organizada e planejada. O que a gente está pedindo é que quando a barragem chegar a um determinado nível de 30%, que antes a irrigação foi suspensa aos 27%, agora como já voltaremos a outro nível com a segurança hídrica definitiva, as cidades de Boqueirão, Cabaceiras e Barra de São Miguel que fazem a irrigação na bacia hidrográfica, queremos que já se inicie a discussão de outorga e liberação da irrigação quando chegar a um certo limite de água”, disse o prefeito de Boqueirão.

Cronograma foi cumprido

O ministro destacou a importância do cumprimento do cronograma do governo federal, que havia garantido a chegada da água em abril. “Poder cumprir com os prazos faz com que a população possa ter a certeza da nossa atenção e priorização para o enfrentamento a essa seca, que tem trazido sofrimento a essa região. Desde 2011 não passava água aqui e poder ver a água chegando hoje, chegando forte, é a certeza de que todos que já sofreram podem ter um futuro novo de prosperidade, de produção e qualidade de vida”, destacou Helder Barbalho.

Nas próximas duas semanas, o governo da Paraíba reforçará as captações necessárias para levar água, além de Campina Grande - segunda maior cidade do estado-, aos moradores de mais 17 cidades: Barra de Santana, Caturité, Queimadas, Pocinhos, Lagoa Seca, Matinhas, São Sebastião de Lagoa de Roça, Alagoa Nova, Boqueirão, Boa Vista, Soledade, Juazeirinho, Cubati, Pedra Lavrada, Olivedos, Seridó e Cabaceiras.

Depois do reservatório Boqueirão, a água continuará seguindo o curso do rio Paraíba até a barragem Acauã, para beneficiar ainda mais 132 mil habitantes em mais 12 cidades paraibanas, por meio de sistemas de distribuição de água já implantados.

O tratamento e a distribuição da água do Projeto São Francisco são de responsabilidade das companhias estaduais de abastecimento. O Ministério da Integração apoia financeiramente as obras e acompanha todas as etapas do processo.

Na Paraíba, a Cagepa está encarregada de levar água às torneiras das famílias. “Há obras de interligação  fundamentais para que outras áreas possam ser beneficiadas nos estados”, explicou o ministro.

 Adutora autorizada em Piancó

Helder Barbalho anunciou também que o Ministério da Integração Nacional já iniciou a licitação para a execução da adutora de engate rápido de Piancó. “Essa é uma medida emergencial que visa diminuir o sofrimento da população da região, garantindo acesso ao abastecimento de água. A nossa previsão é de que, no período de uma semana, estaremos concluindo esse processo. A partir daí, nós analisaremos as propostas e faremos o julgamento, para podermos concluir a contratação”, ressaltou.

No total, o Eixo Leste conduz as águas do ‘Velho Chico’ por 217 quilômetros, entre canais, seis estações de bombeamento, aquedutos e túnel. A captação do rio é realizada no lago de Itaparica, entre os municípios pernambucanos de Floresta e Petrolândia. De lá, seguem para a Paraíba.

 

Relacionadas