terça, 02 de março de 2021

Política
Compartilhar:

‘Trabalho’ vira arma de políticos com mandato para eleições de 2018 na Paraíba

André Gomes / 21 de maio de 2017
Foto: Divulgação / Secom-PB
Este é o ano do trabalho. Principalmente para políticos chefes de poderes executivos que pretendem disputar as eleições no próximo ano. É o que vemos nas administrações do Estado da Paraíba e das prefeituras de João Pessoa e Campina Grande. Os gestores utilizam as inaugurações de obras e visitas na busca de mídia com o objetivo de reforçar a imagem positiva junto aos eleitores.

Analisando o cenário paraibano atual, o professor da Universidade Federal da Paraíba (UFPB) e cientista político, Lúcio Flávio, afirmou que todos os políticos que almejam disputar eleição no próximo ano, principalmente aqueles que detém cargos executivos, aumentam consideravelmente a propaganda para dar mais visibilidade às suas ações.

De acordo com ele, as ações visam cristalizar na população a imagem de empreendedores, voltados para o bem estar da população. Lúcio Flávio disse ainda que a propaganda tem um forte efeito no pleito do próximo ano. “Afinal de contas, a propaganda é a “arma” do negócio”, disse. Conforme o professor, com a classe política desacreditada, os gestores estão abandonando a velha prática do discurso e estão partindo para mostrar mais trabalho.

O professor e cientista político Fábio Machado destacou que fica clara a mobilização de gestores com vistas às eleições do próximo ano. Além da intensidade de inaugurações, prefeitos como os de João Pessoa e de Campina Grande adotaram também a política da boa vizinhança.

População critica

As estratégias de muitos políticos já são observadas pelos paraibanos que aprovam as iniciativas, mas que demonstram a falta de confiança em muitas ações adotadas por gestores visando apenas subir mais um degrau da ascensão política. O empresário Pablo Pinheiro também percebe que o trabalho é mais reforçado em ano pré-eleitoral o que para ele, demonstra uma campanha antecipada.

Segundo Pablo, eles (políticos) ainda fazem alguma coisa já que, em muitos casos, “não tem como ‘embolsar’ 100% do dinheiro público”. Já o professor Josélio Macário disse que na realidade essa é uma prática já antiga na política paraibana. “Vejo isso em Cabedelo. Só falta o carro de som para anunciar na comunidade. Essa estratégia de sedução é o fundamento que dá ‘credibilidade’ a uma didática midiático-política”, disse

Leia Mais

Relacionadas