sábado, 26 de maio de 2018
Política
Compartilhar:

Socialistas afinam discurso e evidenciam possível aliança entre Ricardo e Maranhão

Gabriel Botto / 29 de agosto de 2017
Foto: Reprodução
Os laços entre o governador Ricardo Coutinho (PSB) e o senador José Maranhão (PMDB) parece que estão cada vez mais se estreitando. Para o deputado estadual e líder do governo na Assembleia Legislativa, Hervázio Bezerra (PSB), falou, há uma afinidade entre os partidos, que já estiveram juntos em outros momentos, inclusive na reeleição de Ricardo ao governo o que deixa claro que pode haver uma nova aliança no futuro.

“No passado, em 2004 houve uma composição PSB/PMDB, tendo como cabeça de chapa o governador Ricardo Coutinho, o vice, indicado pelo PMDB, era o atual vice-prefeito de João Pessoa, Manoel Júnior. Em 2008, nós tivemos novamente a composição, na época o PMDB não indicou o vice, mas apoiou abertamente o projeto socialista para a prefeitura da capital naquele ano. Houve um distanciamento em 2010, quando Ricardo e Maranhão foram protagonistas em na disputa do governo, mas em 2014, na reeleição de Ricardo, o PMDB se reincorporou a uma aliança que já era vitoriosa. Então, isso só demonstra a afinidade e entrosamento entre essas duas grandes legendas”, disse Hervázio em entrevista à Rádio Correio SAT/98FM.

Sobre a conjuntura dessa possível aliança, em relação a quem seria o cabeça de chapa e quem figuraria como candidato a vice-governador, o líder do governo na Assembleia preferiu não se adiantar, mas destacou que ambos os partidos têm porte suficiente para encabeçarem a chapa.

“Ainda é cedo pra se fazer análises e conjecturas, mas acho que eles (Ricardo e Maranhão) sentarão à mesa com as suas pré-candidaturas postas, com toda legitimidade do mundo, a de João Azevedo pelo PSB como a do senador José Maranhão, então seria extremamente precipitado dizer que ‘fulano’ seria vice de ‘sicrano’, mas acho que sentaremos do mesmo lado, tentando construir um projeto importante e que seja mais uma vez vitorioso em nosso estado”, destacou o líder do Governo na Assembleia, Hervázio Bezerra.


Relacionadas