quarta, 23 de setembro de 2020

Política
Compartilhar:

Rogério Fialho recebe medalha e diploma pelos serviços prestados à Esma

Adriana Rodrigues / 22 de setembro de 2017
Foto: Rafael Passos
O desembargador federal Rogério Fialho Moreira, ex-presidente do Tribunal Regional da 5ª Região (TRF5), foi homenageado, ontem, à noite, pela Escola Superior da Magistratura Paraíba (Esma), com a medalha e o diploma do Mérito Acadêmico Desembargador Simeão Cananéa, pelos relevantes serviços prestados para o desenvolvimento, fortalecimento da instituição de ensino e na condição de ex-aluno.

A outorga da homenagem ocorreu dentro da programação especial em comemoração aos 34 anos de fundação da Esma. Ela foi proposta pela desembargadora Maria de Fátima Bezerra Cavalcanti, ex-diretora da Esma, e aprovada, por unanimidade, pelo Conselho Consultivo da instituição, como forma de agraciar um dos paraibanos ilustres, que chegaram a cargos de destaque na magistratura e sempre contribuíram com a área acadêmica e para formação/qualificação de juízes.

O desembargador Marcos Cavalcanti de Albuquerque, diretor da Esma, destacou a importância da homenagem a Fialho, que além de ex-aluno da instituição, vem prestando relevantes serviços para o desenvolvimento do Judiciário e para formação do magistrado. “Nada mais justo do que homenageá-lo com a mais alta comenda desta escola, por tudo que ele representa e sua contribuição ao fortalecimento do ensino e da difusão cultural”, comentou.

O homenageado falou da importância da homenagem, ressaltando que a Esma é uma das mais antigas escolas da magistratura do País. “Nestes 34 anos tem prestado inestimáveis serviços não só a formação jurídica, mas a cultura em geral. Pelos bancos da Esma passaram grandes personalidades que despontaram e são destaques no cenário jurídico nacional”, declarou.

Fialho disse ainda que, inicialmente a Esma tinha um perfil mais acadêmico, mas com o passar dos tempos, passou a ser uma escola de preparação inicial e formação continuada da magistratura.

“A Esma desempenha um papel muito importante na formação integral dos magistrados. Para mim, é uma honra muito grande receber esta distinção. Eu fui aluno desta instituição no ano de 1988 e aqui recebi grandes ensinamentos, estímulos de um corpo de professores excepcionais que me ajudou a consolidar aquela vontade de seguir nos caminhos da magistratura”, afirmou.

Além da outorga da medalha ao desembargador Fialho, as comemorações do 34 anos da Esma tiveram outras atividades, dentre elas o lançamento de livros, como o do juiz Bruno Azevedo “O monitoramento eletrônico de presos e a paz social no contexto urbano – Nova política de contenção da modernidade a partir da visão da microfísica do poder e da sociedade de controle” e a inauguração de uma nova biblioteca e o descerramento de placa comemorativa.

Relacionadas