quinta, 19 de outubro de 2017
Política
Compartilhar:

Ricardo volta a defender Dilma e Lula e pede provas contra eles

Mislene Santos / 14 de março de 2016
Foto: Mislene Santos
Um dia depois que milhares de pessoas foram às ruas protestar contra a corrupção, defender a prisão do ex-presidente Lula e pedir o impeachment da presidente Dilma Rousseff (PT), o governador Ricardo Coutinho (PSB) voltou a defender, durante o lançamento do programa Alô Mãe, os petistas. O programa Alô Mãe tem o objetivo de acompanhar, por meio de ligações telefônicas rotineiras, o Pré-Natal das gestantes e das crianças no primeiro ano de vida em todo o Estado,

Ricardo Coutinho disse que a presidente precisa ter coragem para fazer uma repactuação federativa e assim equilibrar a economia e retomar o crescimento do País e, ainda, frear a onda que pede a saída dela do Governo. “A presidente tem que ter a coragem de chamar setores que queiram conversar, porque tem uns que não querem. Tem uns que acham que porque não tem voto vai chegar no poder, simplesmente, puxando o tapete. Esses deixam lá, mas chama outros setores da oposição fazer um  novo governo aproveitando os melhores quadros que o Brasil tem. Não é fazer aquela divisão: toma um ministério para tu outro para você e no final das contas deu o que deu”, declarou o socialista.

Para o governador, a população não pode continuar pagando pelos efeitos que a crise política vem gerando na economia brasileira. “Daqui a pouco vai ter uma manifestação contra o golpe, depois vem outra e nós vamos nesse meio termo deixar o Aedes Aegypti comer todo mundo, a zika infectar todo mundo, nós vamos deixar o sistema de saúde quebrar por quebrar. É preciso abrir a cabeça, o Congresso tem que votar as coisas que estão lá para votar. O Congresso quer votar impeachment contra quem não tem um crime sequer, não tem uma denúncia, vai votar impeachment por quê?”, questionou Ricardo Coutinho.

O governador insistiu na repactuação para, segundo ele, barrar a picuinha política que norteia a política brasileira no momento. “A presidente Dilma precisa ter a ousadia e a primazia de chamar essa repactuação nacional. Goste ou não goste, ela precisa fazer isso para que o País possa sair desse marasmo olhar adiante e cuidar do seu maior patrimônio que é seu povo. Se deixar o seu povo brigando como está, se dividendo em classes, pregando o ódio sobre o ódio, deixar que alguns ache mais importante os refletores de uma câmara de televisão do que o seu mister nós podermos ter graves problemas neste País”, disse fazendo referencia ao senador Aécio Neves.

Ricardo Coutinho pregou o respeito ao devido processo legal e que toda e qualquer acusação contra a presidente Dilma ou o ex-presidente Lula seja devidamente comprovada. “Se tem acusação que se prove, o que não pode é passar seis meses em uma acusação que no final vai dar em um pedalinho. Um presidente da República não pode ter um pedalinho que custa R$ 2 mil reais”, disparou.

E continuou sua defesa ao ex-presidente Lula. “Se tem um apartamento no Guarujá, uma das praias mais decadentes desse País, isso não é na beira do Senna em Paris, é no Guarujá. Se tem alguma coisa e se for ilegal que demonstre a ilegalidade, porque o povo quer saber. Porque faz seis meses que uma pessoa está sendo condenada e não se mostra a prova da condenação. Tem que mostrar a prova para que o País possa ter paz. Agora, se não tem não acuse o maior  símbolo desse País, o símbolo do povo. Se for assim, se condena por antecipação e depois quem quiser que fique com o prejuízo", finalizou.

Relacionadas