terça, 16 de julho de 2019
Política
Compartilhar:

Reviravolta dá quatro anos a Galdino na presidência da ALPB

André Gomes / 02 de fevereiro de 2019
Foto: Nalva Figueiredo
Durou pouco tempo a cerimônia de posse dos 36 deputados estaduais eleitos e reeleitos realizada durante sessão solene na Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB). A expectativa estava voltada para as eleições da Mesa Diretora da Casa referentes ao primeiro e segundo biênio. Após reviravolta encabeçada pelo deputado Tião Gomes (Avante), o deputado Adriano Galdino (PSB) conseguiu ser eleito como presidente para os quatro anos. A primeira, de forma unânime com apoio das bases de situação e oposição e na segunda, numa disputa contra o colega de partido, Hervázio Bezerra (PSB).

O primeiro pleito, comandado por Galdino aconteceu de forma tranquila. Ao anunciar a formação da chapa, colocou para votação dos 36 presentes. Cada um se dirigia a uma sala para confirmar o voto. Ao final, foi apurado e constatado que o socialista tinha sido eleito com apoio de todos os parlamentares, até porque era chapa única. Ao encerrar o processo eleitoral, Galdino convocou os deputados para iniciarem a votação do segundo biênio.

Foi aí que para surpresa de todos, Tião Gomes reafirmou sua candidatura contra a candidatura de Hervázio Bezerra. Ao defender seu posicionamento, Tião destacou que sempre foi fiel ao governador Ricardo Coutinho (PSB) e ao atual governador João Azevêdo (PSB) e que não entendia os motivos que levaram o governo a não aceitar sua candidatura. “Eu não entendo. Sempre fui fiel, principalmente quando éramos minoria aqui nesta Casa”, revelou.

Em seguida, Tião renunciou a candidatura e apresentou a chapa com Adriano Galdino como presidente e ele como vice-presidente. Incluiu ainda os nomes de governistas como Nabor Wanderley (PRB) e Bosco Carneiro (PPS), além de Felipe Leitão (Patriota) e Eduardo Carneiro (PRTB). Esses dois últimos com votos já declarados para Hervázio Bezerra.

Ao fazer a proposta, Tião surpreendeu a todos, mas recebeu resposta positiva de Adriano Galdino que topou bater chapa com Hervázio. A jogada de mestre surtiu efeito e com a ajuda da oposição, Galdino conseguiu ser eleito para o segundo biênio com 23 votos, dos 36. Hervázio Bezerra obteve 13 votos.

Transparência e cortes



O presidente Adriano Galdino disse que sua gestão focará na transparência de dados e ações da ALPB e também na redução de gastos. “Vamos publicar todas as ações da Assembleia no site da transparência. Também vamos garantir uma redução de custos na Casa, que já foi iniciada pelo ex-presidente Gervásio Maia (PSB) e que iremos continuar.

Além de Galdino, eleito como presidente, a Mesa Diretora da Casa para o primeiro biênio é composta pelos deputados Genival Matias – 1º vice-presidente; Manoel Ludgério – 2º vice-presidente; Inácio Falcão – 3º vice-presidente; Camila Toscano – 4ª vice-presidente; Nabor Wanderley – 1º secretário; Bosco Carneiro – 2º secretário; Edmilson Soares – 3º secretário; Walber Virgolino – 4º secretário; Moacir Rodrigues – 1º suplente; Galego Souza – 2º suplente; Dra Paula – 3º suplente e Caio Roberto – 4º suplente.

O segundo biênio é formado por Tião Gomes- 1º vice-presidente; João Henrique – 2º vice-presidente; Felipe Leitão – 3º vice-presidente; Galego Souza – 4ª vice-presidente; Nabor Wanderley – 1º secretário; Bosco Carneiro – 2º secretário; Dra Paula Francinete – 3º secretário; Anderson Monteiro – 4º secretário; Camila Toscano- 1º suplente; Moacir Rodrigues – 2º suplente; Caio Roberto – 3º suplente e Walber Virgolino – 4º suplente.

“Os traíras continuam vivos”



Logo após a eleição para o segundo biênio, o deputado Hervázio Bezerra se disse surpreso com a chapa montada por Tião Gomes. “Fui pego de surpresa, mas faz parte do processo político. Isso também mostra que os traíras continuam vivos na Assembleia Legislativa”, desabafou.

Hervázio revelou que um dia antes, na quinta-feira, o deputado Adriano Galdino, o próprio Hervázio e o governador João Azevêdo almoçaram para discutir e apresentar as chapas do primeiro e segundo biênio. “Eu continuo com minha consciência limpa de que fiz a coisa certa. Fiz o que me comprometi”, destacou.

O governador João Azevêdo disse a base cumpriu o acordo feito para o primeiro biênio, mas que quebrou na eleição do segundo biênio. Apesar disso, o governador disse que a relação com a Casa e com os deputados continua a mesma.

“Isso não é derrota de governo e nem vitória. Existe uma decisão da Assembleia Legislativa. Nós tínhamos um acordo entre a base. A base é que, evidentemente, não manteve este acordo”, afirmou.

Relacionadas