domingo, 13 de junho de 2021

Política
Compartilhar:

Regime militar pressionou ex-prefeito de JP e ele não liberou ajuda a estudantes

Adelson Barbosa dos Santos / 22 de abril de 2016
Foto: Arquivo
Em 1979, o então prefeito Damásio Franca voltou atrás, misteriosamente, e não liberou ajuda de custo prometida a estudantes que iriam a Salvador.

Arquivos do extinto Serviço Nacional de Informações (SNI) revelam que o ex-prefeito de João Pessoa, Damásio Barbosa da Franca, prometeu doar 20 mil cruzeiros, em ajuda de custo, para que estudantes universitários da Capital paraibana pudessem participar, em 1979, do congresso de reativação da UNE (União Nacional dos Estudantes), em congresso na cidade de Salvador (BA). A entidade estudantil havia sido desmantelada no período pós-golpe militar.

A palavra do prefeito foi dada aos estudantes da Universidade Federal da Paraíba (UFPB) que organizaram e participaram da calourada (festa de recepção aos estudantes novatos), no início do ano letivo, provavelmente em fevereiro. Mas os estudantes paraibanos não conseguiram o dinheiro e tiveram que procurar outras alternativas para pagar a viagem.

Motivo: misteriosamente, o prefeito Damásio Franca voltou atrás e mandou avisá-los que não tinha dinheiro para tal finalidade. No recado, o prefeito disse que a verba destinada a ajuda de custos para estudantes já tinha sido totalmente usada e que a Prefeitura não tinha como ajudá-los.

O teor da promessa e da negativa do prefeito Damásio Franca aos estudantes pessoenses foi tornado público depois de 37 anos pela Comissão Estadual da Verdade e da Preservação da Memória da Paraíba, após receber oficialmente parte dos arquivos secretos da antiga agência do SNI que funcionou em Pernambuco durante a Ditadura Militar, para investigar qualquer coisa ou pessoa que “atentasse” contra o Regime Militar.

A Agência do SNI sediada em Recife atuava em Pernambuco, na Paraíba, em Alagoas e no Rio Grande do Norte. Os arquivos relacionados à Paraíba foram entregues há duas semanas à Comissão Estadual da Verdade pelo integrante da Comissão Nacional, professor Grimaldo Carneiro Zachariadhes, que também integra o Grupo Tortura Nunca Maia, na cidade de Salvador.

 

Leia Mais

Relacionadas