segunda, 16 de setembro de 2019
Política
Compartilhar:

‘Unidos Contra a Corrupção’ será lançado nesta segunda

Adriana Rodrigues / 25 de agosto de 2018
Foto: Arquivo
Dois anos e meio depois da mobilização em defesa das 10 Medidas Contra à Corrupção, o Ministério Público Federal (MPF) e representantes de instituições públicas e privadas, entidades de classe e sociedade civil vão lançar, em Recife (PE), na próxima segunda-feira, a campanha “Unidos Contra a Corrupção”, com a chamada ‘ Novas Medidas Contra a Corrupção’.

A apresentação será feita procurador da República Deltan Dallagnol, coordenador da força-tarefa do MPF na Operação Lava Jato, durante um evento que será realizado com o apoio do Fórum de Combate à Corrupção em Pernambuco (Focco-PE), no auditório da Procuradoria da República em Pernambuco, no bairro do Espinheiro, das 14h às 16h.

De acordo com o procurador regional da República, Fábio George Cruz da Nóbrega, a campanha Unidos Contra a Corrupção é coordenada por uma coalizão de organizações e movimentos sem vínculos partidários e conta com a parceria de diversas instituições e pessoas de diferentes opiniões e ideologias. Entre os integrantes do movimento estão o Observatório Social do Brasil, Instituto Ethos, Contas Abertas, Instituto Cidade Democrática, Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral (MCCE) e Transparência Internacional Brasil.

Por meio do movimento, foram elaboradas 70 novas medidas contra a corrupção como, por exemplo, aumentar o tempo para a prescrição de crimes ligados à administração pública e restringir o foro privilegiado. Neste ano, a campanha enfatiza que a principal ação contra a corrupção é o voto. “A ideia é que os candidatos conheçam e se comprometam com as propostas antes e depois do pleito. Também será uma oportunidade para que os eleitores escolham postulantes com um passado íntegro e comprometidos com a democracia e as novas medidas”, explicou o procurador.

Fábio George explicou que as propostas são um aperfeiçoamento do pacote das 10 medidas contra a corrupção, criado pela força-tarefa da Lava Jato em 2015, e que recebeu apoio de mais de 2 milhões de pessoas, porém, passou por fortes alterações no Congresso Nacional. Para virar lei, as novas propostas precisam de apoio popular.

O procurador destacou ainda a importância da campanha, não qual estão centenas de organizações envolvidas, que uniram esforços na construção deste plano e que agora estão em todo País, divulgando essa iniciativa para pautar o debate político. “Já que os candidatos a deputados, a senadores, a governadores e a presidentes querem ganhar as eleições, precisamos saber de que maneiras eles vêem essas iniciativas, se eles aprovam ou não, para que o eleitor possa saber o pensamento daquele candidato que quer o seu voto a respeito dessas matérias fundamentais para avançarmos no enfrentamento à corrupção em nosso País”, argumentou.

Relacionadas