quinta, 06 de maio de 2021

Política
Compartilhar:

‘Progressistas’ descarta apoio ao PV e vai debater aliança

Alexandre Kito / 12 de maio de 2018
A falta de espaço para o Progressistas junto ao grupo de oposição formado pelo PV, PSDB e PSD formando a chapa majoritária, com Lucélio Cartaxo na disputa ao Governo do Estado, fez com que o jogo zerasse para a legenda comanda pelo deputado federal Aguinaldo Ribeiro. Ele afirmou que agora a Executiva Estadual vai ouvir os outros partidos para definir posicionamento para as eleições. O Progressistas só aceita a aliança se ocupar vaga na majoritária, e o parlamentar não negou que já há articulações com o MDB e possibilidade de diálogo com o PSB.

Durante reunião da legenda para apresentar novos filiados, Aguinaldo Ribeiro criticou a forma como o grupo decidiu por Lucélio Cartaxo para disputar o pleito. Segundo o deputado, o Progressistas não foi consultado e ele desconhece os motivos pelo qual o nome de Lucélio, irmão do prefeito da Capital Luciano Cartaxo (PV), foi apresentado como pré-candidato. "Não existe mais essa coisa de decidir em cima e impor para baixo. No mundo que nós vivemos isso é uma postura autoritária. Se Lucélio é candidato, é preciso se dizer por que e para que é candidato e apresentar o projeto. Não pode ser simplesmente porque o irmão desistiu de ser candidato”, alegou.

O parlamentar disse que foi uma escolha 'bilateral' e garantiu que partir de agora o debate será feito de forma diferente pelo Progressistas. “Nós vamos, diferentemente desse processo como se deu, que foi uma escolha bilateral, ouvir os demais partidos. A principal pretensão é construir sobre tudo um projeto onde a gente possa participar apresentando propostas nas diversas áreas", comentou Aguinaldo Ribeiro.

Sem diálogo com a chapa de Lucélio Cartaxo, os dirigentes já estudam a possibilidade de marchar junto com o MDB, que tem como pré-candidato o senador José Maranhão. Aguinaldo Ribeiro admitiu inclusive que já ocorreu conversa entre o presidente da República Michel Temer (MDB) e José Maranhão para que os emedebistas possam abrir espaço para os progressistas na majoritária. "Mas o grupo está dividido. Tem filiados que quer aliança com o MDB, outros querem o PSB, e nós temos que fazer essa discussão", explicou Aguinaldo Ribeiro.

A deputada Daniella Ribeiro afirmou que já ocorreu um encontro 'casual' entre Aguinaldo Ribeiro e o pré-candidato socialista João Azevedo. Porém, eles ainda não marcaram um debate oficial para falar sobre uma composição. “Aguinaldo teve um encontro ocasional com João Azevedo e ficou de ter uma conversa. Mas não há nenhuma impossibilidade porque o Progressistas tem sua independência e nãos é subserviente a ninguém”, disse a parlamentar.

Cargos PMJP

Questionado sobre os cargos que o Progressistas ocupa na Prefeitura da Capital, Aguinaldo Ribeiro disse que não tem problema nenhum porque o partido possibilitou que o prefeito fosse candidato na sua primeira eleição. Segundo ele, a sigla dá sustentação ao governo municipal e na Câmara Municipal, além de contribuir captando recursos federais para a cidade. "Na primeira eleição de Luciano Cartaxo, quando ele sequer tinha condição de construir a sua coligação para formar uma candidatura, foi o nosso partido o primeiro que viabilizou isso", justificou.

Coligação proporcional

Durante o evento, os dirigentes do Progressistas alegaram que a legenda vai marchar, sem coligações, na chapa proporcional, que é para deputado estadual e deputado federal. Aguinaldo Ribeiro garantiu que o partido tem condições de eleger no mínimo quatro deputados estaduais. Para deputado federal, ele acredita que é possível eleger dois parlamentares. A legenda vai realizar seminários a partir de 18 de maio, para discutir projetos para a Paraíba.

Relacionadas