quarta, 20 de janeiro de 2021

Política
Compartilhar:

Prefeito terá tratamento com dinheiro público nos EUA

Adelson Barbosa dos Santos / 23 de fevereiro de 2018
Foto: Divulgação
A Câmara Municipal de Pilões (região do Brejo) aprovou projeto de lei que doa (a título de ajuda de custo) R$ 120 mil para o prefeito Iremar Flor (PSB) pagar um tratamento de câncer no Texas (Estados Unidos). O projeto, encaminhado à Câmara pelo próprio prefeito, foi aprovado pelos nove vereadores do município.

“Conforme dispõe a Lei Orgânica do nosso município, tenho a honra de encaminhar a Vossa Excelência (o presidente da Câmara) e dignos pares (demais vereadores), em caráter de urgência urgentíssima, o projeto de lei que dispõe sobre abertura de crédito especial para atender criação/implantação de dotação orçamentária (elemento despesa) no orçamento vigente para atender despesas com a ajuda de custo para tratamento de saúde do atual gestor”, diz o projeto de lei do prefeito.

Na justificativa, o prefeito doente diz que apresentou o projeto “acerca da possibilidade de o Município fornecer ajuda de custo para tratamento de saúde do seu atual gestor, considerando o acometimento de enfermidade grave e a necessidade de realização de tratamento no exterior, conforme encaminhamento médico”. O tratamento, segundo a justificativa do projeto, será no MD Anderson Cancer Center, no Texas.

O presidente da Câmara, Francisco Flor de Souza, irmão do prefeito, disse que o dinheiro para as despesas de Iremar nos Estados Unidos não fará falta ao município e que ninguém na cidade reclamou. Para ele, a doação de R$ 120 mil ao irmão “é um ato de humanidade”. O projeto é datado de 8 de fevereiro.

O prefeito diz no projeto que jamais recebeu saláriocomo gestor, uma vez que optou, desde o princípio, pela remuneração que tem como servidor da Cagepa (Companhia de Água e Esgotos da Paraíba), em virtude do plano de saúde que possuía. O projeto sustenta que a opção de Iremar Flor pelo salário da Cagepa proporciona ao município de Pilões uma economia de R$ 196 mil por ano, “fora a parte com os encargos sociais, desde o mês de janeiro de 2016”. Na justificativa do projeto não consta o valor do salário de Iremar na Cagepa.

Leia Mais

Relacionadas