sábado, 26 de maio de 2018
Política
Compartilhar:

Pouco tempo de campanha será prejudicial para os ‘marinheiros de primeira viagem’

Adriana Rodrigues / 01 de Abril de 2018
Foto: DIVULGAÇÃO
Em uma campanha com apenas 45 dias destinados a propaganda eleitoral, os candidatos à reeleição e integrantes de grandes partidos terão vantagens na disputa deste ano. Eles saem na frente, com uma série de benefícios, que vão desde ao espaço garantido nos meios de comunicação para divulgação das ações do mandato, até a estrutura e recursos para financiamento de suas campanhas.

Para especialistas, a redução de 90 para 45 dias do período destinado a campanha eleitoral, poderá dificultar a eleição de novas lideranças e integrantes de partidos pequenos, porque ao invés de reduzir os gastos, tenderá a aumentar, para difusão de mensagens pelas redes sociais e de outros mecanismos para chegar junto ao eleitorado em um curto espaço de tempo.

De acordo o professor João Paulo Oliveira, responsável pela disciplina de Direito Eleitoral dos cursos online do CERS, o diferencial da campanha eleitoral deste ano será a irrigação financeira, possibilitada pelo Fundo Especial de Financiamento de Campanha (FEFC), que vai destinar mais R$ 2 bilhões para que os partidos banquem as campanhas deste ano.

“Este formato de 45 dias de campanha não é novo. Tivemos essa experiência nas eleições de 2016. Mas será a primeira eleição presidencial neste formato. Assim, o diferencial será a irrigação financeira garantida pelo FEFC, no qual os partido maiores sairão ganhando, porque vão receber um volume maior de recurso”, comentou.

O professor João Paulo disse ainda, que quanto maior a irrigação financeira, maior será, também a possibilidade que o candidato terá de impulsionar as postagens pelas redes sociais, mediante pagamento, e assim, garantir maior amplitude a sua campanha e atingir um maior número de eleitores de forma instantânea, no curto espaço de tempo.

Leia Mais

Relacionadas