quinta, 21 de janeiro de 2021

Política
Compartilhar:

Parlamentares estão indecisos; PSB pode ter disputa ‘suicida’ e MDB está em ‘extinção’

André Gomes, Rammom Monte, Alexandre Freire e Adriana Rodrigues / 15 de março de 2018
Foto: Reprodução
Deputados das bancadas de oposição e situação estão no mesmo barco em relação ao prazo para o troca-troca de legenda previsto na janela partidária, que termina dia 6 de abril. Os parlamentares ainda não sabem para onde vão. Pelo esquema governista, entre seis e sete esperam pela determinação do governador Ricardo Coutinho e o PSB é o partido que pode abrigá-los, numa disputa “suicida”. Na oposição, vários deputados também estão perdidos em relação aos partidos.

O MDB deve chegar ao dia 6 com apenas um ou dois deputados estaduais. Um é certeza: Raniery Paulino. O PSDB pode perder seu federal e um estadual. O Democratas ficará com seu federal e sem ninguém na Assembleia porque João Henrique vai sair e Raoni Mendes é suplente.

Extinção

A decisão do senador José Maranhão em ser candidato a governador nas eleições deste ano e a possibilidade de debandada de filiados da legenda começa a preocupar caciques do partido nacionalmente. Foi o que revelou nessa quarta-feira (14) o vice-prefeito de João Pessoa, Manoel Junior. De acordo com ele, o líder da sigla na Câmara dos Deputados, Baleia Rossi, demonstrou o incômodo com a possível extinção da bancada paraibana na Casa. “Eu acho que o MDB está em franca extinção aqui no Estado da Paraíba”, destacou Manoel Junior.

O vice-prefeito foi além quando taxou a pré-candidatura do senador José Maranhão de impositiva. “Infelizmente uma candidatura posta como irreversível, imutável e que não dialoga, inclusive para dentro do partido, deixa a chapa proporcional fragilizada. E se você não tem uma chapa proporcional em uma disputa desta monta, efetivamente você deixa o partido extremamente vulnerável e fragilizado”, declarou.

Perguntado se defenderia uma prévia dentro do partido para decidir quem seria o candidato a governador, Manoel Junior afirmou que a decisão de Maranhão não seria demovida com uma prévia.

Por conta deste impasse, Manoel Junior pode deixar a sigla. Porém, ele afirma que esta decisão só deverá ser tomada próximo ao dia 7 de abril, quando fecha a janela partidária. “Eu ainda não pensei nisto (sair do MDB), estou pensando, avaliando e na hora certa eu terei de comunicar à imprensa”, disse.

Sem mágoas

Manoel ainda negou que tenha ficado alguma mágoa com o prefeito de João Pessoa, Luciano Cartaxo (PSD), pelo fato dele ter anunciado que terminaria o mandato para qual foi reeleito.

“Estamos bastante unidos, juntos, no propósito de que as oposições possam apresentar à Paraíba um projeto consistente e que melhore a vida das pessoas e das famílias no nosso estado”, falou.

Sobre sua postulação a ser candidato a governador, Manoel Junior disse que colocou seu nome à disposição, mas defendeu que Luciano Cartaxo seria a melhor opção para a oposição.“Coloquei meu nome à disposição na possibilidade do prefeito Luciano Cartaxo, e a força é muito grande na revisão da posição do prefeito Luciano. Isto é das lideranças partidárias, prefeitos, deputados, sabedores que são, que ele é o melhor nome para a disputa, mas obviamente meu nome também está colocado. No meio justamente deste caldo de nomes importantes que são e têm prioridades, mas o nosso está posto ai para a análise dos companheiros”, completou.

"Fogo de palha"

O governador Ricardo Coutinho (PSB) ironizou, nessa quarta-feira (14), o anúncio feito pelo vice-prefeito de João Pessoa, Manoel Junior (MDB), de que o seu nome estaria disponível para a disputa do governo do Estado. De acordo com o socialista, tudo isso não passa de “fogo de palha”.

Ricardo disse que o vice-prefeito não é candidato a nada e que por trás desse anúncio deve ter alguma coisa. “Arranjem outro, Manoel Junior não é candidato a nada, pelo amor de Deus”, ironizou o governador.

O socialista também criticou a oposição e disse que o grupo não possui candidato, discurso e nem história. Segundo ele, esses três pré-requisitos são essenciais para quem pretende militar na política. “A oposição não tem candidato, não tem discurso e nem história, e só quer saber de atrapalhar as coisas que estão avançando. Não tem o que dar à população”, disse.

Questionado se o prefeito Luciano Cartaxo também estaria nesse rol de políticos, Ricardo disse que não estava nominando ninguém, mas à própria oposição.

Jutay fica na oposição

Um dia após confirmar a passagem do comando do PRB ao deputado federal Hugo Motta, que está deixando o MDB, o deputado estadual Jutay Meneses garante que a mudança não inclui adesão ao governador Ricardo Coutinho e nem apoio a pré-candidatura de João Azevedo (PSB) ao Governo do Estado.

Segundo ele, o partido e seus parlamentares seguirão independentes. “Vou continuar seguindo minha linha na Assembleia Legislativa, votando de forma independente. Esse ingresso do deputado Hugo Motta e o deputado e seu grupo não está vinculado a minha adesão a base governista”, afirmou.

Jutay disse que sua saída da presidência do PRB faz parte de uma estratégia do partido e foi realizada de modo consensual, com sua participação direta nas conversas.

O parlamentar explicou que a sua saída do comando estadual da agremiação aconteceu em diálogo franco e respeitoso com a direção nacional da legenda, que em todos os momentos atuou de modo transparente, mas que continuará participando da executiva estadual.

Jutay saudou a chegada do deputado Hugo Motta, que passará a presidir o PRB na Paraíba, em data ainda a ser definida pelo próprio parlamentar, que pediu um tempo apenas para conversar com o senador José Maranhão, presidente do MDB.

Romero recebe apoio de Bolsonaro

O PSL, por intermédio do deputado federal e presidenciável Jair Bolsonaro, e vice-presidente nacional Julian Lemos, asseguraram, nessa quarta-feira (14), apoio à pré-candidatura do prefeito de Campina Grande, Romero Rodrigues, ao Governo do Estado.

De acordo com Julian Lemos, que além de vice-presidente nacional, está à frente do PSL na Paraíba, não se trata de um apoio da legenda ao PSDB, mas à pessoa de Romero. “Nós temos admiração ao trabalho que vem sendo realizado por Romero à frente da Prefeitura e temos uma grande simpatia por ele e por seu nome na disputa pelo Governo”, argumentou.

Julian Lemos anunciou que é pré-candidato a deputado federal e que a legenda vai surpreender nas eleições deste ano, prometendo para os próximos dias a divulgação de novas adesões. No encontro, como informou o dirigente do PSL, Romero convidou Bolsonaro para participar dos festejos juninos em Campina Grande.

Relacionadas