sexta, 21 de setembro de 2018
Política
Compartilhar:

Paraíba é o estado que mais procura informações sobre eleições na internet

André Gomes / 14 de setembro de 2018
Foto: Reprodução
O que muita gente já disse ou ouviu por aí está confirmado pelo Google: o paraibano é movido à política. Segundo a ferramenta da gigante da internet, fora Brasília, que é a Capital nacional e centro do Poder do Brasil, é na Paraíba que mais se busca informações sobre as eleições através da internet. Ligada ao Google Trends, uma seção do site que aponta para as maiores tendências de pesquisa entre os usuários, a área é uma central de dados e gráficos que informa sobre o interesse dos brasileiros a respeito de candidatos e política. A pergunta mais buscada nos últimos sete dias é sobre anulação do voto.

O levantamento mostra que as outras quatro questões de relevância no buscador são "Como justificar o voto?", "O que acontece se eu não votar?", "Em quem votar em 2018?" e "O que é democracia?". Na Paraíba, temas como saúde, educação, emprego, impostos e crime também aparecem com destaque nas buscas feitas na ferramenta.

Também é possível identificar os presidenciáveis que geram mais interesse em cada região, estado e cidade do país, os assuntos políticos prioritários para a população, a evolução da busca sobre assuntos políticos na última década e como os usuários relacionam os presidenciáveis a determinados temas. A página também fornece informações em tempo real durante debates televisivos.

As buscas realiozadas na Paraíba mostram que o candidato a presidente mais buscado é Jair Bolsonaro (PSL), seguido por Ciro Gomes (PDT), Fernando Haddad (PT), Geraldo Alckmin (PSDB) e João Amoedo (Novo).

“Obviamente, quem tem mais exposição da mídia gera mais interesse das pessoas na busca. Porém, é uma área muito viva, muda a todo tempo", diz Marco Túlio Pires, do Google News.

No Norte e no Nordeste, as pessoas pesquisam sobre educação, enquanto no Centro-Oeste, no Sul e no Sudeste, buscam pelo termo saúde. Distrito Federal, Paraíba, Sergipe, Piauí e Roraima são os locais em que as pessoas, proporcionalmente, mais usam a ferramenta para se informar sobre as eleições.

Pires explica que essa área do Google é como as antigas páginas amarelas da lista telefônica, um aglutinador de informações em diferentes categorias.

"Nas redes sociais, as pessoas arrumam seus perfis, colocam fotos bonitas, têm um tipo de comportamento. Nas máquinas de busca, a autenticidade é muito grande. As informações são anonimizadas (anônimas) em escala global e conseguimos captá-las em tempo real. Os brasileiros estão pesquisando muito sobre partidos, campanhas e legislação. Seria ruim mantermos esses insights, que surgem de forma tão autêntica, só para a gente", diz Pires.

O recurso já foi usado em eleições de países como Estados Unidos, México, França, Colômbia e Argentina.

Relacionadas