domingo, 22 de abril de 2018
Política
Compartilhar:

Novo prefeito de Cabedelo será escolhido nesta quarta

Adriana Rodrigues, Rammom Monte, Amanda Gabriel e Alexandre Freire / 04 de Abril de 2018
Foto: Assuero Lima
O Município de Cabedelo, na Grande João Pessoa, está desde essa terça-feira (3) sem determinação dos chefes dos Poderes Executivo e Legislativo, após a Operação Xeque-Mate, que prendeu o prefeito Leto Viana; o presidente e vice-presidente da Câmara Municipal, Lúcio José e Jacqueline Monteiro (esposa de Leto), respectivamente, e mais três vereadores. Além disso, foram afastados cinco outros parlamentares e o vice-prefeito.

À tarde, na audiência de custódia, o Tribunal de Justiça da Paraíba manteve a prisão preventiva do prefeito e de mais 10 pessoas presas na Operação Xeque-Mate, deflagrada, nessa terça-feira (3) pela manhã, em uma operação conjunta da Polícia Federal com o Grupo de Atuação Especial contra o Crime Organizado (Gaeco) do Ministério Público da Paraíba (MPPB).

A audiência foi conduzida pelo juiz Rodrigo Marques, da 6ª Vara Criminal da Comarca de João Pessoa, tendo como representante do MPPB, o promotor de Justiça José Guilherme Soares Lemos.

Os envolvidos vão responder por organização criminosa, corrupção ativa e passiva, lavagem de dinheiro e fraude licitatória. Após as audiências de custódia da Operação Xeque-Mate, os 11 envolvidos foram encaminhados para presídios e batalhões da Paraíba.

Sequência

O juiz Rodrigo Marques falou também que a audiência serviu para aferir as circunstâncias das prisões e as condições dos presos até agora.

“Eles continuarão presos porque estão presos em razão de uma prisão preventiva. Eles continuarão presos até o teor da liberação do relator que é o desembargador João Benedito. A audiência serve para aferir as circunstâncias das prisões, não houve arbitrariedade”, explicou.

Em relação a como deverá ficará a situação da Prefeitura e quem deverá assumir o cargo de prefeito, o magistrado ressaltou que caberá a Câmara Municipal de Cabedelo, tendo como base o seu regimento interno tomar as medidas cabíveis para solucionar a situação do Executivo Municipal.

O juiz Rodrigo Marques foi designado pelo presidente do TJPB, desembargador Joás de Brito Pereira Filho, para substituir o desembargador João Benedito da Silva, relator do processo, na audiência de custódia, que teve quase cinco horas de duração.

Novo prefeito será escolhido nesta quarta

A situação política, tanto do Legislativo, quanto do Executivo em Cabedelo só deve ser solucionada nesta quarta-feira (4) pela manhã. Com a decisão judicial que culminou com a prisão do prefeito Leto Viana, a prisão de cinco vereadores e o afastamento de cinco, um total de 10 suplentes devem ser convocados para tomar posse na Câmara Municipal de Cabedelo, em uma sessão especial, nesta quarta (4), às 8h.

Dos 15 vereadores, apenas cinco não foram afastados, dentre eles Eudes de Souza (PTB), que integra sozinho a bancada de oposição e está articulando ser eleito novo presidente da Casa, com o apoio dos demais colegas.

Segundo ele, os cinco vereadores que permaneceram na Casa estão tentando se reunir, para deliberar sobre a eleição e a convocação os suplentes para resolver o problema da representativa do município. Após a posse dos suplente, ocorrerá a eleição da nova Mesa Diretora, composta por um presidente, 1º vice-presidente, 2º vice-presidente, 1º secretário e 2º secretário.

Apenas os titulares terão direito a concorrer aos cargos da Mesa Diretora, porém, os suplentes que assumirão o mandato, terão direito a votar no processo para escolha dos novos dirigentes.

“Vou colocar meu nome à disposição dos colegas. Vou buscar o consenso para apresentar uma chapa única e consensual. Há um clamor popular para que possamos contribuir como nosso trabalho para solucionar este problema em nosso município, e que sempre denunciávamos na tribuna que algo tinha que ser feito”, comentou.

A dificuldade para convocação dos suplentes, na tarde dessa terça-feira (3), e a não realização da sessão especial para posse dos suplentes e eleição da nova Mesa Diretora da Casa, vai deixar Cabedelo por mais de 24 horas sem gestor, após a Operação Xeque-Mate.

De acordo com Vandalberto de Carvalho, procurador da Câmara de Cabedelo, os trabalhos foram suspensos nesta terça já que a porta da sede da Câmara foi quebrado durante protesto de moradores. No entanto, a expectativa, que nesta quarta-feira (4) a situação seja solucionada, assim que o novo presidente eleito da Câmara Municipal seja empossado, imediatamente, como prefeito interino, e o vice-presidente assumirá o comando da Casa Legislativa.

Na decisão que determinou as prisões e os afastamentos, resultantes da operação Xeque-Mate, o desembargador João Benedito da Silva, que está atuando como relator do caso, determinou que as medidas cabíveis sejam tomadas pelo Legislativo para garantir a ordem política e administrativa da cidade.

Relacionadas