quarta, 20 de setembro de 2017
Política
Compartilhar:

Nomeação de Lula divide opiniões na Assembleia Legislativa da Paraíba

Alexandre Kito / 16 de março de 2016
Foto: Divulgação
Os deputados da Assembleia Legislativa da Paraíba repercutiram a chegada do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) à Casa Civil nesta quarta-feira (16). A bancada estadual do PT na Casa recebeu com entusiasmo a notícia e considerou que o comando de Lula no Ministério deve trazer benefícios para a articulação política do Governo Federal. Já os oposicionistas, reclamaram e classificaram a nomeação como um golpe e estratégia para se defender das acusações na Justiça.

Um dos poucos a defender a escolha de Lula como ministro, o petista Anísio Maia destacou que o respaldo político vai ajudar o Governo nas articulações e no enfrentamento à oposição para melhorar a atuação da presidente Dilma Rousseff. O deputado rebateu as críticas da oposição e considerou normal, alegando que qualquer determinação do Planalto, neste momento, não será aceita pelos oposicionistas.

Anísio disse que a reconhecida habilidade do ex-presidente de dialogar e formar consensos vai ajudar o governo a superar as inúmeras dificuldades com a base aliada, especialmente com o PMDB, que dá sinais de que pretende se afastar do governo.

"É normal os questionamentos da oposição. O que o governo fizer vai receber crítica, mas a presença de Lula é importante neste cargo para melhorar a crise financeira no país", Anísio Maia.

Porém, o peemedebista Raniery Paulino, não concordou com a escolha de Lula. Ele acredita que se fosse para nomear o ex-presidente ministro, que tivesse sido feito no início do Governo. Questionado sobre o possível afastamento do PMDB, o parlamentar destacou que a decisão deveria ser imediata. "Não concordo que temos que esperar 30 dias para decidir", comentou.

Na avaliação da oposição, a nomeação é uma forma de tentar blindar Lula diante das investigações da Operação Lava Jato, uma vez que, tornando-se ministro, ele teria direito a foro privilegiado, fazendo com que as investigações saiam do âmbito da Justiça Federal e passem para o Supremo Tribunal Federal (STF).

O tucano, Tovar Correia Lima, considerou 'golpe' a decisão de Dilma Rousseff. O deputado considerou absurdo que Lula comande um Ministério diante de tantas acusações que têm sido feitas a ele pela Justiça.

Bruno Cunha Lima (PSDB) se colocou temeroso a atuação do ex-presidente na Casa Civil. O tucano considerou um absurdo a decisão do Governo Federal, pelo fato de Lula está envolvido em um dos maiores processos de corrupção do Brasil.

"Um absurdo em pleno século 21 ver um alvo de um dos maiores processos do país assumir um ministério. É temeroso para a instituição democrática", Bruno Cunha Lima.

 

Relacionadas