domingo, 20 de setembro de 2020

Política
Compartilhar:

Mineral e Jullys Roberto assumem cadeira na ALPB e ficam na bancada governista

Mislene Santos / 03 de janeiro de 2017
Foto: Mislene Santos
Apesar de pertencerem a partidos que fazem oposição ao governador Ricardo Coutinho (PSB), Antônio Mineral (PSDB) e Jullys Roberto (PMDB) assumiram a titularidade dos mandatos de deputados estaduais nesta terça-feira (03) e reafirmaram que integrarão a bancada governista.

Mineral que vinha se mantendo na Assembleia Legislativa no lugar do deputado licenciado, Ricardo Marcelo (PMDB), disse que manterá o seu estilo de votar em projetos que beneficiem à Paraíba e todos os paraibanos. “Se estou apoiando as matérias do governo, claro que nós estamos dando apoio ao governo aqui na casa”, reforçou o parlamentar.

Já Jullys Roberto declarou que segue a bancada da situação com muita naturalidade e responsabilidade, sem temer qualquer tipo de reação do PMDB. Ele destacou que matem uma relação transparente e de confiança com o partido e que o presidente estadual do partido, senador José Maranhão, sabe qual o seu posicionamento e o seu posicionamento na ALPB.

“Vou seguir o mesmo posicionamento que já vinha tendo de quando assumi os mandatos como suplente. Então, será um posicionamento de situação em que venho seguindo e tenho certeza que o povo da compreenderá a nossa história, o nosso momento. Hoje é um novo tempo, um novo futuro que vamos escrever”, declarou o peemedebista.

Mudanças

Antônio Mineral e Jullys Roberto assumem no lugar de Dinaldinho Wanderley (PSDB) que foi eleito prefeito de Patos e José Aldemir (PP) que assumirá o comando da prefeitura de Cajazeiras, respectivamente.

Dinaldinho Wanderley e José Aldemir (PP) têm uma forte atuação no sertão paraibano e os novos deputados também. Antônio Mineral tem sua base eleitoral em Patos e nas cidades vizinhas. Já Jullys Roberto tem sua raiz política em São Bento.

Queda na oposição

A deputada Camila Toscano (PSDB) demonstrou preocupação com a perda de dois membros da bancada de oposição. Segundo ela, houve não só uma queda na quantidade, mas também na qualidade do grupo oposicionista. “Nós temos uma bancada pequena, mas de muita qualidade. Então, acredito que vamos conseguir fazer um bom trabalho a partir de fevereiro mesmo com o número menor, mas não perdemos a qualidade e vamos manter o nível do debate e de uma oposição responsável que trabalha em prol da Paraíba”, afirmou à tucana.

26 contra 10

O líder da banda de oposição, deputado Renato Gadelha (PSC), informou que atualmente a bancada de oposição contra com apenas 10 parlamentares e que o governo aprova qualquer matéria com bastante facilidade.

“Nós somos a minoria, mas tenho certeza que em qualificação nós somos à maioria. Nós estamos sempre presentes diligentes em tudo que diz respeito aos interesses da Paraíba. O governo já tinha maioria absoluta para aprovar e desaprovar o que quer aqui. Então, a saída de dois integrantes da nossa bancada não modifica muita coisa”, arrematou o socialista cristão.

Relacionadas