domingo, 22 de abril de 2018
Política
Compartilhar:

Luiz Antônio é afastado, Noquinha assume e Bayeux terá 3º prefeito em nove meses

Adriana Rodrigues / 22 de Março de 2018
Foto: Divulgação
O presidente da Câmara Municipal de Bayeux, Mauri Batista, o Nôquinha (PSL), foi empossado no início da tarde dessa quarta-feira (21) como novo prefeito da cidade.

A determinação foi do Tribunal de Justiça da Paraíba (TJPB), por meio de uma medida cautelar do desembargador Arnóbio Alves Teodosio, que afastou o então prefeito interino Luiz Antônio de Miranda Alvino (PSDB).

O magistrado estipulou o prazo de 180 dias para que o tucano se mantenha afastado do cargo de vice-prefeito, e consequentemente da prefeitura.

Nôquinha é o terceiro a assumir o comando da Prefeitura em 15 meses. Ele anunciou que o maior desafio de sua gestão será a redução dos gastos com a folha de pessoal, que segundo ele está consumindo quase 90% do que é arrecado e reestruturação da administração da cidade.

“Não temos a menor condições de governar Bayeux arrecadando R$ 9 milhões e pagando R$ 8 milhões da folha. Nosso maior desafio será colocar a cidade para andar”.

Para integrar sua equipe de secretários, Nôquinha anunciou o advogado Aécio Farias, responsável pelo setor jurídico da Câmara Municipal, como o novo procurador-geral do município; e a permanência de Emerson Fernando Nunes de Oliveira na Secretaria da Fazenda, além de Carlos César Medeiros na Secretaria da Administração.

Os demais nomes deverão ser anunciados nesta quinta-feira (21) ou na sexta (22). O novo prefeito interino de Bayeux tinha a pretensão de exonerar de uma canetada só toda a equipe de auxiliares de primeiro, segundo e terceiro escalões e todos os ocupantes de cargos comissionados, conformaw anunciou no programa Correio Debate da rádio 98,3 FM.

Mas voltou atrás e decidiu que vai se reunir com os 17 vereadores e os secretários que vão permanecer na equipe para analisar todo o quadro funcional e definir as medidas que serão tomadas.

Auditoria nas contas

Nôquinha disse que pretende fazer uma auditória nas contas da Prefeitura no período administrado pelo vice-prefeito Luiz Antônio, para verificar como estão as finanças e tudo que foi ordenado até agora.

Além disso, o novo prefeito falou do do desafio de assumir a gestão de Bayeux. “Recebo com serenidade a missão que é confiada e me comprometo a cumprir com a força de trabalho que sempre norteou a minha ação parlamentar. Peço que Deus nos ilumine para que passamos efetivar ações voltadas para a normalização da prestação de serviço da prefeitura, que contribuem para o crescimento de Bayeux. Olhemos para frente e busquemos o tempo perdido”, declarou.

A solenidade de posse de Nôquinha como prefeito interino da cidade foi bastante prestigiada.

Berg Lima prestigiou

A posse de Nôquinha teve a participação do prefeito afastado Berg Lima, que surpreendeu com sua aparição na solenidade do seu segundo substituto.

Berg foi afastado do comando da cidade, em 5 julho do ano passado, após ser preso em flagrante recebendo propina de um empresário da cidade. Ele deixou a prisão em novembro após conseguir um habeas corpus no Superior Tribunal de Justiça (STJ) e continua travando uma batalha judicial para retornar ao comando da Prefeitura.

Berg disse que acredita na possibilidade de seu retorno à Prefeitura, com os desdobramentos das ultimas decisões judiciais e que ficará comprovado que foi vítima de uma armação.

“Temos esperança, com certeza, a nossa equipe de advogados acredita que o nosso direito é importante e vamos aguardar”, comentou o prefeito afastado.

Berg disse ainda que vê com naturalidade a decisão da Justiça que determinou o afastamento de Luiz Antônio e aguarda apenas uma decisão judicial para retornar ao cargo e as atividades.

Relacionadas