sexta, 19 de julho de 2019
Política
Compartilhar:

Lei proíbe uso de nomes de torturadores em escolas em João Pessoa

Adelson Barbosa dos Santos / 15 de abril de 2016
Foto: Arquivo
Mais uma escola da rede estadual de ensino, que homenageia presidente do período da Ditadura Militar, mudou de nome, em João Pessoa, por força de uma lei sancionada pelo governador Ricardo Coutinho (PSB). Trata-se da Escola Estadual de Ensino Fundamental e Médio Presidente Costa e Silva, no bairro do mesmo nome.

A escola agora tem o nome de Manoel Lisboa de Moura, um alagoano de Maceió que dirigiu o PCR (Partido Comunista Revolucionário, fundado em 1966 com atuação voltada para a defesa dos interesses de camponeses e pessoas mais pobres que viviam à margem da sociedade.

A lei que alterou o nome da escola é a de número 10.661, de 28 de março deste ano. “Faço saber que o Poder Legislativo decreta e eu sanciono a seguinte lei: Art.1º- A Escola Estadual de Ensino Fundamental e Médio Presidente Costa e Silva, localizada no bairro do Costa e Silva, da cidade de João Pessoa, passa a ser denominada Escola Estadual de Ensino Fundamental e Médio Manoel Alves Lisboa, de acordo com o que preceitua a Lei estadual de nº 10.086/2013”, diz o texto sancionado pelo governador Ricardo Coutinho.

Quem propôs a homenagem a Manoel Alves Lisboa, colocando seu nome na escola estadual, no lugar do nome de Costa e Silva, foi o deputado estadual Anísio Maia, em projeto de lei aprovado na Assembleia Legislativa da Paraíba no ano de 2015.

A primeira escola a mudar de nome foi a Escola Presidente Médici, no Com junto Castelo Branco, que ganhou o nome de Escola Estadual de Presidente João Goulart. O presidente João Goulart foi destituído do cargo em 1964.

Relacionadas