segunda, 16 de setembro de 2019
Política
Compartilhar:

João Pessoa e Campina têm 24 possíveis candidatos a prefeito

André Gomes / 13 de abril de 2019
Foto: Elza Fiúza/Agência Brasil/Fotos Públicas
Faltando pouco mais de um ano para as eleições municipais, 24 nomes surgem como possíveis candidatos a prefeito nos dois maiores colégios eleitorais da Paraíba, João Pessoa e Campina Grande, onde os atuais prefeitos não podem mais concorrer. Na Capital, 15 nomes já começam a observar a possibilidade de lançamento de uma candidatura. Na Rainha da Borborema, 9 nomes são lembrados para o embate eleitoral.

Para a disputa em João Pessoa, o nome do atual vice-prefeito Manoel Junior foi lembrado pelo presidente nacional do Solidariedade, Paulinho da Força. Segundo o presidente, o partido está empenhado em convencer Manoel Junior a disputar a prefeitura da Capital. Apesar disso, o possível candidato disse que o momento agora é de fortalecer a legenda e que as conversas sobre candidatura não depende apenas dele. “Isso é uma construção que deve ser conversada com muitos outros atores desse processo”, disse o vice-prefeito.

Também na Capital, o deputado estadual e presidente do Democratas, Felipe Leitão, disse que o partido terá candidatura majoritária. De acordo com ele, a sigla tem bons nomes a exemplo do dele, do ex-deputado Raoni Mendes e também do deputado federal, Efraim Filho. “Teremos candidatura na Capital, isso já é ponto de consenso interno. Vamos agora, no momento certo, definir quem será o candidato”, afirmou.

O prefeito de Campina Grande, Romero Rodrigues, começou a organizar a administração municipal com olhos nas eleições municipais do próximo ano. Ontem, grande parte dos secretários empossados, se não todos, possuem chances reais de apresentarem seus nomes a disposição para concorrer tanto ao cargo de prefeito, como vereadores.

Entre os empossados está Bruno Cunha Lima (Chefia de Gabinete) que já demonstrou interesse em disputar a prefeitura. Apesar disso, Romero tem outros aliados com a mesma disponibilidade, a exemplo dos deputados estaduais Tovar Correia Lima e Manoel Ludgério. A escolha de Romero por quem será o seu sucessor oficial está longe de ser tomado, mas a posse dada aos aliados na administração municipal reforça a tese de que o prefeito campinense quer seus aliados bem colocados e avaliados para não dar chance a oposição no ano que vem.

Na Rainha da Borborema, pela oposição, surgem nomes como o da vice-governadora, Lígia Feliciano (PDT), do deputado estadual Inácio Falcão (PCdoB) e até mesmo o da secretária de Interiorização, Ana Cláudia Vital do Rêgo (PSB).

Inácio Falcão chegou a dizer que a oposição vai unir forças para montar uma chapa competitiva com objetivo de realizar uma campanha transparente e em comunhão com a sociedade campinense. Segundo ele, essa é uma ideia que recebe apoio do ex-governador Ricardo Coutinho; do atual governador, João Azevedo, e o deputado federal Veneziano Vital.

Relacionadas