terça, 25 de junho de 2019
Política
Compartilhar:

João Gonçalves é confirmado para Secretaria de Articulação Política

Adriana Rodrigues / 18 de abril de 2019
Foto: Agência ALPB
O governador João Azevêdo (PSB) confirmou ontem a convocação do deputado estadual João Gonçalves (Podemos) para Secretaria de Articulação Política do Estado. A solenidade de posse deve ocorrer na quarta ou na quinta-feira da próxima semana, está dependendo apenas dos ajustes da agenda governamental.

O parlamentar afirmou que sua convocação para a Pasta da Articulação Política se deve à necessidade do governador João Azevêdo reforçar o contato com as lideranças nas bases. Segundo ele, os prefeitos e vereadores sentem a falta de um contato mais próximo com o governador para apresentar pleitos locais. “Meu jeito de trabalhar é estar ao lado do povo. Vou estar nos municípios, conversando com os prefeitos, vereadores e lideranças locais para fazer a interlocução do Governo com os municípios”, explicou.

A saída de João Gonçalves da Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB) abre espaço para o segundo suplente da coligação, Lindolfo Pires (Podemos), que deve tomar posse novamente em uma cadeira da Casa Epitácio Pessoa até o final da próxima semana. O parlamentar, que não conseguiu se reeleger em outubro, fez com que o governo movesse várias peças, incluindo a convocação do ex-adversário Jutay Meneses (PRB), que assumiu, na semana passada, agradecendo a Lindolfo e declarando que integra a base governista na Assembleia.

A expectativa do Governo com a chegada de Lindolfo, político experiente e com poder de articulação, é de que se chegue a termo uma espécie de trégua na Casa de Epitácio Pessoa com o chamado G9 (bancada formada por nove parlamentares) que, apesar de ser formado por governistas, não rezam pela cartilha do líder governista Ricardo Barbosa (PSB). O suplente deve atuar como uma espécie de vice-líder do governo, com forte expectativa do próprio governador.

Em entrevista ao programa Correio Debate, da TV Correio, João Gonçalves falou da expectativa de assumir a nova missão, após oito mandatos parlamentar, dos quais três como vereador de João Pessoa e cinco como deputado estadual, sem nunca ter atuado no Executivo, destacando que trabalha de domingo a domingo, mais de 16 horas por dia e sem direito a férias. “No Governo de Cássio Cunha Lima cheguei a ser convidado para Ação Social e Esportes, mas achava que não era o momento, porque não atendia a minhas expectativas de trabalha de domingo a domingo, atendendo ao povo e fazendo esse trabalho que sempre fiz e sei fazer de articulação política”, comentou.

O parlamentar disse ainda, que na articulação política de João Azevêdo vai trabalhar na base, e de forma articulada com os demais secretários da Casa Civil, Chefia de Gabinete e demais pastas para dar o respaldo político nas ações do governador. “Todo dia o governador lança obras, programas, visitas aos municípios e precisa de um apoio de articulação política. É isso que vamos fazer, trabalhando com muito afinco e dedicação, para que o governador tenha mais tempo para executar as suas metas de governo e administrar”, declarou o deputado.

Trabalho com os prefeitos



João Gonçalves disse ainda, que além do trabalho junto aos prefeitos e vereadores dos 223 municípios paraibanos, também vai atuar junto aos deputados estaduais, tanto da bancada de situação, quanto a da oposição.

“Temos um relacionamento bom com todos. Com a oposição nossas divergências são apenas em algumas votações. Pretendo fazer também essa articulação entre o Governo e bancada, com o fortalecimento e consolidação de nossa base governista”, comentou João Gonçalves.

O parlamentar ressaltou, que apesar da atuação da liderança da bancada, a parte política não estava funcionando muito bem, mas com a ida dela para a Secretaria, essa questão será reforçada. “Vamos nos reunir com a bancada e discutir uma atuação e espero contar com o compromisso de todos, nessa atuação governista, que tem ônus e bônus, todos sabem das suas obrigações e sabe que o Governo preciso do apoio de todos e vive da gestão”, afirmou.

O parlamentar adiantou, no entanto, que sua meta na futura missão, além de muito trabalho, será para “derrubar portas”. “Meu gabinete será aberto para todos. Se possível vamos funcionar de forma itinerante para atender a todos e ouvir os reclames da população e das lideranças política. Esse será um trabalho permanente, de dia à noite, de domingo a domingo. Não vamos parar” , adiantou.

Moacir pode abrir vaga na ALPB



O deputado Moacir Rodrigues (PSL) poderá ser o próximo a tirar licença na Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB) para abrir vaga para um suplente. Neste caso, que assumirá a titularidade do mandato será o vereador de João Pessoa, João Almeida (Solidariedade), primeiro suplente da coligação. Os dois já chegaram a conversar sobre o assunto e as articulações políticas já estão em curso, com o estudo de várias possibilidades, e a principal delas é que Moacir Rodrigues assuma o comando da Agência Nacional de Águas (ANA), como aliado do presidente Jair Bolsonaro e entusiasta da área de recursos hídricos.

Moacir Rodrigues admitiu ontem esta possibilidade, de abrir a vaga para o colega de coligação, que como destacou, é um político atuante na Capital e faz parte da base aliada do presidente Bolsonaro. “Todo suplente nutre o desejo de assumir e nós como titulares temos que está aberto a esta possobilidade, havendo condições para que ocorra, não podemos criar obstáculos, mas sim estudar as possibilidades para que isso aconteça. Além disso, João Almeida é uma boa pessoa, político atuante e aliado”, revelou.

O deputado disse ainda que como uma de suas principais bandeiras do mandato na ALPB é a questão da segurança hídrica da Paraíba, está entusiasmado com a possibilidade de ser convidado para asumir a Ana, porque lá poderá contribuir para concretização de vários projetos que garantam essa questão não só para o Estado, mas para a região Nordeste e para todo País. “Estamos enfrentando o problema de falta de água há mais de 100 anos, não podemos esperar mais um século para que esse problema seja solucionado, é algo que precisa de uma certa urgência e há meios para isso”, comentou.

Dentre os projetos que deverão ser colocados em prática pelo parlamentar caso seja indicado para ANA está o que prevê a projetos de irrigação e interligação de bacias com rios, como ocorreu em São Paulo. “Para se ter uma ideia, a irrigação de 100 mil hectares pode garantir a geração de 200 mil empregos”.

Relacionadas