sábado, 20 de abril de 2019
Política
Compartilhar:

João Azevêdo diz estar aberto a receber adesões de opositores

Beto Pessoa / 09 de fevereiro de 2019
O governador João Azevêdo (PSB) afirmou que o Executivo está de portas abertas para adesões de novos deputados. O socialista, em entrevista pela manhã quando inspecionava obras na Capital, destacou que o oposicionista Manoel Ludgério (PSD), que tem se alinhado aos posicionamentos governistas, pode ser só um dos nomes dispostos a dar as mãos ao projeto encabeçado pelo PSB na Paraíba.

“Passamos pelo processo de eleição das duas Mesas e estamos conversando com cada deputado. O deputado Manoel Ludgério (PSD), antes até da eleição, já se colocou na condição que votaria apoiando os candidatos apresentados pelo Governo. Essa busca para que a gente tenha governabilidade e ao mesmo tempo a tranqüilidade que se faz necessário para se ter gestão tranqüila é o que vamos buscar. Se novas adesões puderem partir, não de mudança de partido, mas querendo compor conosco esse projeto, vamos aceitar e vamos discutir’.

No final de janeiro, Manoel Ludgério, acompanhado de gestores de várias cidades, participou de reunião com João Azevêdo, onde foram discutidas as pautas das cidades, disse o deputado na época.

Ludgério foi o único dos deputados de oposição a se negar a assinar a CPI da Cruz Vermelha, que quer investigar as suspeitas de desvio de dinheiro das Organizações Sociais que fazem a gestão dos hospitais estaduais, bem como o envolvimento de agentes públicos em esquemas de propina.

E a CPI?. Ainda durante a entrevista, João Azevêdo falou sobre a criação da CPI da Cruz Vermelha e disse que os deputados de oposição, que estão propondo o inquérito, estão atrasados e querem chamar atenção. “É inócua (a criação de uma CPI). O papel dela é fazer um relatório e entregar ao Ministério Público. Nesse processo a oposição está chegando atrasada diante do que está acontecendo. Uma CPI para entregar um relatório sobre aquilo que o Ministério Público já está fazendo eu acho estranho. O que se está pretendendo é holofote”, disse.

João decretou a intervenção em três hospitais paraibanos gerenciados por organizações sociais da Cruz Vermelha. No Hospital de Trauma de João Pessoa, no Metropolitano de Santa Rita e no Geral de Mamanguape, os interventores estão atuando para, segundo o próprio governador, evitar a ocorrência de problemas e intervenções no atendimento à população.

Além disso, o Tribunal de Contas do Estado deu um prazo para que o Governo do Estado instalasse uma comissão interna para monitorar o trabalho dessas OSs nas unidades de saúde.

Para completar a investigação sobre o caso, a bancada de oposição quer a instalação de uma CPI onde deverão ser ouvidas pessoas envolvidas no caso, inclusive agentes públicos do Estado.

Alocando suplentes. O governador também falou da possibilidade de convocar alguns deputados da base para assumir secretarias ou órgãos no Governo, abrindo, assim, espaço para que suplentes assumam uma cadeira no Poder Legislativo. Segundo ele, tudo será avaliado após o dia 19, que serão retomados os trabalhos na Casa de Epitácio Pessoa.

Relacionadas