segunda, 19 de abril de 2021

Impeachment
Compartilhar:

Cássio defende impeachment como porta de entrada para ‘nova República’

Nice Almeida / 11 de maio de 2016
Foto: Reprodução
Uma nova República constituída. É assim que o senador paraibano, Cássio Cunha Lima, líder do PSDB no Senado, acredita que será o Brasil, caso se confirme o afastamento da presidente Dilma Rousseff (PT) do cargo de presidente. O tucano foi o 35º parlamentar a se pronunciar na tribuna do Senado na sessão que analisa a instalação do processo de impeachment.

"Que nós possamos construir um novo tempo, que possamos construir com a força do povo uma República de novo, com ausência de segredo, com lisura, com transparência para que esse novo tempo surja e possamos olhar para o amanhã com esperança", discursou.

Para Cássio,  houve sim crime de responsabilidade e, por isso, Dilma deve ser retirada do cargo o qual ocupa. "Mentir ao povo, enganar, usar a boa fé do povo  humilde para que ela pudesse usar o poder fazendo o diabo. Precisamos explicar que os crime de responsabilidade foram sim praticados por Dilma. Ela atentou contra o Artigo 85, Inciso 6. Promoveu a maior fraude fiscal já vista no nosso país e as pessoas já associam  a maior crise do nosso país aos crimes praticados por ela. Foi a irresponsabilidade de Dilma que empurrou o Brasil para a gravidade do quadro atual", enfatizou.

O tucano defendeu a posse de Michel Temer e disse que todos deverão unir forças para contribuir com o novo governo. "Viremos a página e que possamos dar posse ao vice-presidente, mesmo que temporariamente. Não podemos nos iludir que a partir desse instante encerra-se um ciclo, não! Estamos apenas no começo. É árduo, difícil, complexo. Temos que ajudar o país oferecendo a nossa ajuda para haver um processo de salvação nacional. Socorrer e resgatar o Brasil do abismo para o qual ele foi empurrado", argumentou.

Relacionadas