sábado, 05 de dezembro de 2020

História
Compartilhar:

Um Osvaldo no Governo, outro na Prefeitura de João Pessoa

Adelson Barbosa dos Santos / 28 de agosto de 2016
Foto: Arquivo
Nas primeiras eleições diretas depois da ditadura comandada por Getúlio Vargas, a partir de 1930, os paraibanos foram às urnas votar para presidente da República, senador e deputado federal. As eleições ocorreram em 1945.

Dois anos após, em 1947, voltaram às urnas para eleger vereadores, prefeitos, vice-prefeitos, deputados estaduais, um senador, três suplentes de senador, governador e vice. Nas eleições de 1947, os paraibanos elegeram dois governantes com nome Osvaldo: o governador Osvaldo Trigueiro de Albuquerque Mello e o prefeito da Capital, Osvaldo Pessôa Cavalcanti de Albuquerque.

O prefeito era irmão do ex-presidente do Estado, João Pessoa Cavalcanti de Albuquerque, e sobrinho do ex-presidente da República, Epitácio Lindolfo da Silva Pessoa, que morreu no dia 13 de fevereiro de 1942, na cidade que homenageia o imperador Dom Pedro II, Petrópolis, no Estado do Rio de Janeiro.

Foi com Osvaldo Pessôa Cavalcanti de Albuquerque na Prefeitura da Capital que a Paraíba iniciou a década de 1950 ainda com forte influência da família Pessoa na política, mais de 20 anos depois do assassinato de João Pessoa, fato ocorrido em 26 de julho de 1930. Em 1947, Osvaldo Pessôa Cavalcanti de Albuquerque (PSD) derrotou Luiz Gonzaga de Oliveira Lima (UDN), Antônio Boto de Menezes (PR) e Giácomo Záccara (PRP). Osvaldo Pessôa exerceu o mandato entre 14 de março de 1948 e 13 de novembro de 1951.

O outro Osvaldo, Trigueiro de Albuquerque Mello, foi vitorioso para governador. Derrotou Alcides Vieira Carneiro, e José Vandregiselo.

Osvaldo Trigueiro de Albuquerque Mello obteve 80.368 votos (53,54% dos eleitores que foram às urnas). Alcides Vieira Carneiro ficou em segundo lugar com 69.683 votos (46,43%) e José Vandregiselo de A. Dias obteve apenas 47 votos (0,03% dos votantes).

Prestes disputou o Senado pela Paraíba

Em 1945, segundo o Tribunal Regional Eleitoral da Paraíba (TRE-PB), o presidente da República vitorioso naquelas eleições foi o marechal Eurico Gaspar Dutra (PSD). No entanto, na Paraíba, quem se deu melhor foi o brigadeiro Eduardo Gomes (UDN).

Nas mesmas eleições de 1945, a Paraíba elegeu oito deputados federais e dois senadores: Adalberto Jorge Rodrigues Ribeiro e Wergniaud Borborema Wanderley.

Mas entre os candidatos que postularam os votos dos eleitores da Paraíba para senador, estava um que pouca identidade tinha com o Estado: Luís Carlos Prestes, o famoso líder comunista e idealizador da Coluna Prestes, que percorreu o Brasil de sul a norte, inclusive passando pelo interior paraibano.

A Coluna Prestes foi um movimento político-militar que aconteceu entre os anos de 1922 e 1953.

Ela era ligada a um movimento chamado “Tenentismo”, que combatia os velhos hábitos da República Velha e defendia ensino público e gratuito para a população brasileira. Na época, qualquer cidadão brasileiro podia disputa o Senado por qualquer Estado.

Prestes não obteve êxito na Paraíba. Ficou com apenas 7.571 votos (2,27% dos eleitores).

Leia Mais

Relacionadas