sexta, 22 de janeiro de 2021

Política
Compartilhar:

Adriano Galdino revela ‘convites tentadores’ para trair Gervásio Maia

Mislene Santos / 05 de abril de 2017
Foto: Divulgação
Após deixar a presidência da Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB), o deputado estadual Adriano Galdino (PSB) está evitando a imprensa para falar sobre a sua gestão e os planos para o futuro. O socialista, no entanto, usou a Tribuna da Casa nesta quarta-feira (05)  e admitiu  estar em quarentena e que nos próximos dias a mesma chegará ao fim, momento em que apresentará um balanço da sua gestão e do período em que esta fora dela.

“Esta quarentena está perto de chegar ao fim. Em breve estarei usando esta tribuna para dizer como foram os últimos dois meses da minha gestão como presidente. Para falar um pouco da minha via crucis desses dois primeiros meses que estou fora da presidência. Para que a comunidade paraibana e a própria Casa tomem conhecimento de tudo aquilo de bom e de ruim que é ser presidente, de bom e de ruim do que é não ser mais presidente”, desabafou Adriano Galdino.

Adriano Galdino disse ainda que durante os dois anos em que esteve no comando da ALPB foi bastante “tentado” para não cumprir o acordo que fez com o deputado Gervásio Maia (PSB) de revezar a presidência da Casa.

“Fui, diariamente, tentado para quebrar o compromisso com Vossa Excelência (Gervásio Maia) para não assumir o compromisso que assumi de forma pública. Quem me conhece sabe que eu tenho muito defeitos, que tenho um caminhão de defeitos, mas entre as minhas poucas virtudes está cumprir com a palavra empenhada e não mentir. Quando eu contar uma história é porque é verdadeira. Eu não minto nem para ir para o céu! É assim que faço política. É assim que tenho perdido votos e até eleições, porque a gente perde votos em ser sincero, em ser honesto” declarou Adriano Galdino.

Ainda em  seu deu desabafo criticou a postura do eleitor diante de um político que ‘fala a verdade’. “As pessoas estão acostumadas e querem ser enganadas e eu não sei fazer isso”, disparou Galdino.

Por fim, adiantou que quando for se pronunciar sobre esses acontecimento irá apontar todas as pessoas que lhe fizeram passar pelo que ele classificou de via crucis.

“A minha quarentena esta chegando ao fim e vou relatar para os senhores os dois anos que aqui passei como presidente, as coisas boas e as coisas ruins. Vou relatar esses dois meses que estou fora da presidência, os dissabores, as alegrias, as tristezas, as decepções e com toda certeza darei nomes aos bois, porque não sou de fugir do debate e de esconder absolutamente nada de ninguém”, arrematou Adriano Galdino.

Base está unida  

O líder do governo da ALPB, Hervázio Bezerra (PSB), disse que a bancada está unida e que divergências em um grupo de 24 deputados são mais que natural acontecerem. Segundo ele, as arestas já foram aparadas e tudo está dentro do controle.

“Em uma família com dois filhos há problemas, imagine com três. Então, em um grupo com 24 deputados é natural haver discordâncias e divergências. Mas, independente de qualquer coisa já está tudo superado”, afirmou Hervázio Bezerra.

 

Relacionadas