sexta, 18 de agosto de 2017
Política
Compartilhar:

Galdino convoca reunião e volta a ameaçar corte de ponto de deputados faltosos

Alexandre Kito / 10 de março de 2016
Foto: Arquivo
A repercussão negativa da falta dos deputados, durante as sessões ordinárias desta semana, levou o presidente da Assembleia Legislativa, Adriano Galdino (PSB), a convocar uma reunião com o colegiado de líderes, na próxima terça-feira, para definir punição aos parlamentares que não estiverem presentes durante as atividades da Casa. Apesar de não admitir que foi uma falha dos deputados e sim uma visão deturpada de quem criticou a ausência, Galdino afirmou que poderá, inclusive, cortar o ponto dos faltosos.

Os parlamentares ocuparam mais uma vez a tribuna para criticar e justificar as faltas durante o expediente que tem impedido as votações de matérias no Legislativo Estadual. Apesar das várias justificativas, ontem foi o terceiro dia na semana que a Casa ficou sem apreciar projetos por falta de quórum. Adriano Galdino alegou que estava na sede da Assembleia Legislativa durante todo o expediente, porém estava atendendo na sala da presidência. Criticou a falta de alguns deputados, mas garantiu que vai encontrar uma forma de resolver a situação. Poderá inclusive cortar o ponto de quem faltar o trabalho.

A crítica pela ausência das votações no Grande Expediente partiu da bancada de oposição, que tem sido a mais presente nos horários de sessões. Mas, como o painel eletrônico indicava a presença da maioria dos deputados, muitos alegaram que estavam em outras atividades e por isso não puderam comparecer ao plenário. O presidente é o responsável em explicar a sociedade o porquê não houve votação esta semana, disse Raniery Paulino (PMDB) em seu discurso. O deputado criticou mais uma vez, pelo terceiro dia consecutivo, a falta da maioria em plenário que impediu apreciações durante toda a semana.

Presidente vai apresentar relatório com contenção de gastos

O presidente Adriano Galdino garantiu que vai apresentar um relatório em plenário, até o próximo mês, contendo os valores economizados após as medidas tomadas pela Mesa Diretora para diminuir os gastos da Assembleia Legislativa para conter a crise. O Poder Legislativo está com um déficit de R$ 1,5 milhão no duodécimo, cortado pelo Governo do Estado. Os deputados Raniery Paulino (PMDB) e Daniella Ribeiro (PP) solicitaram informações da economia que está sendo feita na Casa.

"A orientação que eu dou a vocês deputados é que possam, a partir das 15h, usar o gabinete de representação que existe, pois temos verbas para isso, para possam dar continuidade aos trabalhos", Adriano Galdino.

De acordo com Adriano Galdino, ainda é cedo para saber o resultado das medidas anunciadas por ele para diminuir os custos financeiros. Ele afirma que vai esperar até o início de abril pára poder analisar as contas da Casa. Mas, já adiantou que apresentará um relatório aos deputados e à população com os valores da possível economia. Uma das determinações do Legislativo foi a mudança no horário do expediente, que na segunda e sexta-feira é de apenas quatro horas. Na terça, quarta e quinta-feira a Casa funciona por sete horas.

A diminuição do expediente tem causado desentendimento entre alguns deputados, que não ficaram satisfeitos com a decisão. Ontem, após solicitação de informações da Daniella Ribeiro e Raniery Paulino ficou definido por Adriano Galdino a possibilidade de discutir o tema durante a reunião do colegiado de líderes na próxima terça-feira. Porém, o presidente se adiantou e sugeriu que os parlamentares esticassem o expediente e atendessem a população nos seus escritórios de representação, que a maioria possui e são garantidos a eles através da verba de gabinete.

O combinado é que os funcionários dos diversos setores da Casa apresentem estudos elaborados por eles com medidas para cortar gastos sem atrapalhar o andamento das ações legislativas. O documento que será apresentado pelo presidente deve ter base na análise dos servidores. Preocupado com os ajustes que devem ser feitos, o presidente não descartou a possibilidade de reduzir a folha de pessoal para reajustar as contas.

Além da redução de despesas, a Casa deve discutir e apreciar ainda na terça-feira, temas polêmicos como a Medida Provisória (MP) 242 publicada pelo Governo do Estado, que suspende o reajuste das remunerações e subsídios dos servidores ativos, inativos e pensionistas, civis e militares, da administração direta e indireta.

Relacionadas