quarta, 20 de janeiro de 2021

Política
Compartilhar:

Estela evita falar em sucessor para Ricardo Coutinho

Rammom Monte / 07 de fevereiro de 2017
Foto: Divulgação
O governador Ricardo Coutinho (PSB) não deveria deixar de se candidatar a algum cargo nas eleições de 2018. Este é o pensamento da deputada estadual Estela Bezerra (PSB). Em entrevista ao programa Correio Debate, da rádio 98 FM/ Correio Sat, a socialista defendeu que seria uma “perda muito grande para a Paraíba” se Ricardo Coutinho ficasse longe da vida pública por alguns anos.

“No nosso processo histórico, um político como Ricardo Coutinho não deve deixar a vida pública, porque ele faz bem para a política, e faz bem para a Paraíba ter um defensor como é Ricardo Coutinho. Um homem com uma visão generosa, forte, justa, igualitária, não tendo medo de fazer cara feia. A Paraíba como Estado ficará pobre sem ter uma representação como é Ricardo. Entre os amigos e os opositores ele consegue ter um respeito, para mim ele não deve em momento nenhum sair da atividade política”, disse.

Se o governador seguir os desejos de Estela, ele terá se afastar do atual cargo para disputar algo em 2018, possivelmente o Senado Federal. Perguntada se Ricardo Coutinho já sinalizou o que pretende fazer, a deputada afirmou que ainda não sabe.

“Ricardo tem dito isto em alguns momentos, tem evitado dizer qual é o cargo que ele vai concorrer ou se vai. Tem deixado esta pergunta e esta questão no ar, ele é um homem de grande compromisso. Se ele enxergar que tem papel ficando, ele ficará. O que ele acha melhor na concepção de futuro, ele estará fazendo pela Paraíba”, disse.

Ainda sobre 2018, a deputada não quis comentar possíveis nomes para uma possível sucessão de Ricardo Coutinho no cargo de governador. “Acho que 2017 é um ano de trabalho. Aqui na Paraíba não desmonta o palanque momento nenhum. Fico feliz de fazer parte de um projeto que dispõe de nomes. Partido nenhum vence eleição sozinho. O que eu sinto em relação à Paraíba é que vencerá, como venceu em 2014, a tese de que não podemos voltar ao tempo de que muitos se falava mas que a prática não condizia com o discurso. O nome que for definido, seja do próprio partido ou do campo da aliança, ser a defendido por todos nós e por mim em particular. Eu acho que o PSB tem que ter a grandeza e clareza de dialogar e atrair aqueles que se estabelecem compromisso a partir do que vem construindo na Paraíba”, finalizou.

Relacionadas