domingo, 09 de maio de 2021

Política
Compartilhar:

Empresários da indústria ouvem propostas de seis pré-candidatos a presidência

Damásio Dias / 05 de julho de 2018
Foto: Reprodução
Como vem realizando a cada ciclo eleitoral nos últimos 24 anos, a Confederação Nacional da Indústria (CNI) apresentou ontem aos candidatos à Presidência uma série de medidas consideradas fundamentais para superar obstáculos ao crescimento da economia, estimular o amadurecimento institucional e melhorar a qualidade de vida da população. A entidade sabe que próximos governantes terão à frente grandes desafios para recolocar o Brasil na rota do desenvolvimento econômico e social sustentado.

As recomendações foram discutidas com os presidenciáveis durante o Diálogo da Indústria com os Candidatos à Presidência da República, que reuniu cerca de 2 mil líderes empresariais, no Centro Internacional de Convenções do Brasil (CICB), em Brasília.

No mesmo evento, seis pré-candidatos à Presidência apresentaram propostas de governo. Não houve debate entre eles. Durante uma hora, cada um fez uma exposição e em seguida respondeu a perguntas de empresários.

Os participantes foram divididos pela manhã – Geraldo Alckmin (PSDB), Marina Silva (Rede) e Jair Bolsonaro (PSL); e à tarde – Henrique Meirelles (MDB), Ciro Gomes (PDT) e Alvaro Dias (Podemos)

O tema proposto pela CNI para o encontro foram ideias para aumentar a produtividade das empresas e estimular o crescimento sustentável da economia.

Propostas

Em 2018, a indústria organizou 43 propostas para o Brasil construir, nos próximos quatro anos, uma economia mais produtiva, inovadora e integrada ao mercado internacional. “O setor produtivo está fazendo a sua parte e as propostas servem de bússola para o longo caminho ainda a ser percorrido. A agenda de reformas deve ser o carro-chefe desse novo tempo. Mais do que nunca, é fundamental que os brasileiros escolham governantes que estejam verdadeiramente comprometidos com a retomada do desenvolvimento do país”, afirma o presidente da CNI, Robson Braga de Andrade.

Os 43 documentos para o novo governo federal foram elaborados com base no Mapa Estratégico da Indústria 2018-2022. Os estudos traçam diagnósticos e sugerem ações em áreas como eficiência do estado, segurança jurídica, infraestrutura, tributação, educação, meio ambiente, inovação, financiamento e segurança pública.

A Indústria defende reformas estruturais, simplificação tributária, abertura de novos mercados.

Relacionadas