terça, 13 de novembro de 2018
Eleições
Compartilhar:

Victor Hugo fala em construir 15 mil casas em João Pessoa durante entrevista

Rammom Monte / 15 de setembro de 2016
Foto: Assuero Lima
O candidato Victor Hugo (PSOL) participou nesta quinta-feira (15) da rodada de entrevistas dos programas Correio Debate, da Rádio 98 FM/Correio Sat e da TV Correio, com candidatos à prefeitura de João Pessoa. Ele foi o quarto a ser entrevistado. O candidato começou a entrevista saudando a todos e agradecendo a oportunidade de participar das entrevistas. “Quero parabenizar essa postura democrática do Sistema Correio. Quem ganha com isto é o cidadão”, disse.

Victor Hugo respondeu, na Rádio - por meio de sorteio - e na TV - temas livres-, perguntas enfocando propostas para áreas como obras inacabadas, barreira do Cabo Branco, parcerias público-privadas, ciência e tecnologia, educação, meio ambiente, turismo, iluminação pública, corrupção, cultura e lazer, geração de emprego e renda e habitação.

Obras inacabadas

O candidato falou das obras inacabadas em João Pessoa e citou como principal exemplo a intervenção na Avenida Beira Rio, que, segundo ele, está atrapalhando o trânsito, além de dar prejuízo ao erário público. Além dos exemplos, Victor Hugo falou que, além de finalizar as obras inacabadas, ele irá dar atenção à manutenção das que já existem, como escolas, creches e unidades básicas de saúde, que, segundo ele, estão abandonadas e esquecidas.

Barreira do Cabo Branco

Para Victor Hugo, o problema da Barreira do Cabo Branco é o mais emblemático no quesito meio ambiente em João Pessoa. Ele apontou a construção da Estação Cabo Branco, em 2005, como um dos motivos para a atual situação da barreira. Outra crítica do candidato foi em relação ao atual projeto de revitalização da barreia do Cabo Branco apresentado pela atual gestão. “O prefeito atual abriu uma licitação de R$ 80 milhões para represar as ondas, que estudo foi feito para a gente gastar R$ 80 milhões? Primeira coisa que vamos fazer é revogar este decreto, depois suspender essa licitação e vamos fazer um estudo aprofundado que nunca foi feito. Um estudo que dure anos, porque qualquer intervenção feita sem estudo pode afetar outras áreas”, disse.

Parcerias público-privadas

Sobre este tema, Victor Hugo disse que não vê problemas nas parcerias público-privadas, porém, ele ressalta que é preciso fazer de uma maneira em que o público se sobressaia em relação ao privado. “É bonito no papel, mas na hora de fazer temos que ter cuidados”, afirmou.

Ciência e tecnologia

Victor Hugo criticou a “pirotecnia” apresentada por outros candidatos que afirmaram que iriam fazer isto ou aquilo, caso fossem eleitos. O candidato disse que se for eleito, pretende investir nos laboratórios de informática dentro das escolas municipais. Outro ponto abordado por ele foi em relação a parcerias com órgãos como o Sesc e Senac para levar a tecnologia para as pessoas que querem ter acesso mas não têm condições. Ele também falou que pretende criar bolsas para os estudantes que se destaquem em várias áreas, como a tecnologia, porque, segundo ele, estes destaques acabam saindo das escolas pelo fato de que precisam trabalhar para sustentar as famílias.

Educação

O candidato disse que o que vem sendo discutido nesta área são as mesmas discussões da década de 1980, com o então governador do Rio de Janeiro, Leonel Brizola, que são as escolas em tempo integral. Segundo ele, há anos vem se discutindo isto, mas nunca foi implantado de fato. Ele explica que em João Pessoa há algumas escolas “maquiadas” mas que não há de fato o sistema de escola em tempo integral, que ele  explica que é ter aulas normais pelo turno da manhã e no turno da tarde ter projetos de cultura, lazer, visitas a pontos da cidade, entre outros. Outro ponto apontado por ele é a valorização do profissional da saúde e a formação continuada dos professores.

Meio ambiente

Neste tópico, o candidato foi perguntado sobre o Parque Arruda Câmara e qual seria seu projeto para o local. Ele respondeu que a Bica, como é mais conhecido o local, é um ambiente agradabilíssimo e que precisa ter uma atenção especial. Porém, ele afirma que não há necessidade de grandes reformas, e sim de uma manutenção constante. Ele também falou que tem como projeto cuidar das despoluição dos rios, para não ter problemas de falta de água, citando Campina Grande como exemplo. Falou também dos outros parques e por fim disse que pretende fazer onde hoje fica o Aeroclube, um parque para a população. “Ali no Aeroclube vai ser uma área para a população, vai ser uma área verde. Nada de especulação imobiliária”, disse.

Turismo

Sobre o tema, Victor Hugo disse que é uma área que interligada diretamente a outras. “Se temos uma mobilidade urbana que funciona, uma preservação ambiental, um sistema de saúde, são um leque de ações que vai poder trazer o turismo, se não conseguir isso tudo junto, acaba brecando a vinda de turistas”, explicou. Outro ponto dito por ele que fomentar o turismo é a valorização da cultura e dos artistas locais. Ele também citou a questão da comunicação. Para ele, o prefeito poderia investir mais em comunicação externa, mostrando João Pessoa para outras cidades e até outros países.

Iluminação Pública

Victor Hugo disse que, se for eleito, irá fazer um programa de recomposição da iluminação de João Pessoa. Segundo ele, a iluminação na capital paraibana é péssima e isto contribuiu para o aumento nos índices de violência. Ele disse que vai colocar lâmpadas de LED, porque são mais “econômicas e deixam as ruas parecendo dia”. “Já vimos algumas ruas com LED, por que não coloca em todas? Fazer um projeto. Tem dinheiro para isto. Não é possível que não consiga fazer um projeto, dinheiro tem, não se faz porque é uma gestão medíocre”, afirmou.

Corrupção

Neste tópico, o candidato atacou a transparência nas obras da Lagoa. Ele disse ainda que uma boa forma de combater à corrupção é usar mecanismos que já existem, como a Procuradoria do Município e a Controladoria Geral do Município, mas que estão abandonadas e desestruturadas. Outro ponto levantado foi a questão da dificuldade de se entender os números disponibilizados pela Secretaria de Transparência, por isto, ele afirmou que pretende, caso seja eleito, levar a população para dentro da prefeitura. “Chamar a população para a prefeitura e câmara. Venha nos fiscalizar. Sem a população você pode se armar, mas a corrupção acaba chegando”, disse.

Cultura e Lazer

Assim como o turismo, Victor Hugo relacionou este tema a vários outros, como educação, saúde, geração de emprego e renda, entre outros. Ele afirmou ainda que pretende criar a Secretaria Municipal de Cultura, e quer levar e fomentar a cultura em todos os bairros da cidade. Ele citou o exemplo das organizações presentes no Centro Histórico como uma possível parceria com Organizações Não-Governamentais e entidades civis. Outra proposta dele é criar bibliotecas públicas em toda a cidade.

Geração de emprego e renda

O candidato afirmou que a geração de emprego e renda não é uma coisa feita diretamente pela prefeitura, mas que é decorrência de várias outras ações, como cultura, limpeza pública, que fomenta o turismo, entre outras. Porém, segundo ele há uma ação mais direta que pode ser feita pela prefeitura que são os empréstimos para os micro e pequenos empreendedores. Para o candidato, os valores que hoje existem precisam ser aumentados, para que haja maior fomentação de geração de emprego e renda.

Habitação

O último tema sorteado foi habitação. Neste tópico, Victor Hugo criticou a atual prefeitura e disse que pretende construir 15 mil casas até o final de seu mandato, caso seja eleito. Para o candidato, a melhor forma de fazer esta quantidade de casas é através de cooperativas, fazendo com isto que haja economia nos gastos, já que não teria a presença das construtoras no processo. Além disto, ele afirma que com estas cooperativas também vai fomentar a geração de emprego e renda.

Considerações finais

Por fim, o candidato agradeceu a todos e conclamou a população para observar o que está sendo feito, se os projetos estão sendo efetuados. Ele disse ainda que quer trazer a população para dentro da política, para refletir sobre o atual momento político no Brasil. Ele disse ainda que João Pessoa precisa de novos atores políticos e que o PSOL se propões a isto. “Tem político sério querendo fazer a transformação”, finalizou.

Relacionadas