sábado, 28 de novembro de 2020

Eleições
Compartilhar:

Romero projeta mudar o ‘Maior São João do Mundo’ para o Aluízio Campos

Rammom Monte / 02 de setembro de 2016
Foto: Assuero Lima
O prefeito e candidato à reeleição em Campina Grande, Romero Rodrigues (PSDB), foi o quarto a participar da rodada de entrevistas dos programas Correio Debate, da Rádio 98 FM Correio Sat e da TV Correio, nesta sexta-feira (02). Romero saudou a todos no começo da entrevista e pediu a oportunidade de dar continuidade ao projeto iniciado em 2013.  O candidato respondeu, na Rádio - por meio de sorteio - e na TV - temas livres-, perguntas enfocando propostas para áreas como turismo, pavimentação, limpeza pública, política pública para as mulheres, mobilidade urbana, São João e Eventos, segurança pública, habitação, geração de emprego e renda, saúde, pagamento a fornecedores e parcerias público-privadas.

O primeiro tema sorteado foi turismo. Neste tópico, o prefeito afirmou que pretende manter a boa relação com o trading turístico, fortalecer os eventos da cidade, como o São João e outros e intensificar outras ações. Segundo Romero, Campina Grande tem a vocação para o turismo, principalmente o de eventos. Uma das ações que ele citou foi o Natal Iluminado, em que, segundo ele, a área em questão tornou-se ponto de visitação.

Limpeza Pública

Segundo Romero, assim que assumiu o cargo de prefeito, encontrou a cidade como um “verdadeiro lixão”. “A cidade foi literalmente abandonada em 2012 e precisamos agir firmemente, contando inicialmente com o apoio da iniciativa privada que cedeu uma frota de equipamentos para limpar a cidade. Limpeza pública é questão de saúde publica e nós temos conseguido manter a cidade num padrão de limpeza urbana. Outra ação foi comprar equipamento, porque era tudo terceirizado e compramos uma frota de caçambas, pás máquinas, retro escavadeiras, entre outros”, disse.

Pavimentação

Romero afirmou que sua gestão está fazendo uma revolucionária ação de pavimentação na cidade. Segundo ele, na primeira etapa do processo de pavimentação de Campina Grande já foram contempladas 250 ruas e avenidas e que até o final do ano a meta é pavimentar mais 400 ruas. Caso seja eleito, ele prometeu ter, até o fim do segundo mandato, mais 500 vias do município calçadas ou asfaltadas.

Política pública para mulheres

Neste tema, o candidato falou da construção e municipalização de creches. Segundo ele, “está provado por A mais B, que esta é uma ação que reduz drasticamente a violência contra a mulher”. Outras ações citadas por Romero foram o programa Mexe Campina, que, de acordo com ele, a maior parte das pessoas que participam são do sexo feminino. Por fim, ele citou várias ações que está realizando no Instituto de Saúde Elpídio de Almeida (ISEA) e afirmou que pretende transformar o local em um hospital da mulher. Caso seja eleito, ele prometeu ampliar as ações que já vêm sendo realizadas.

Mobilidade Urbana

Neste tópico, Romero tratou sobre as obras que realizou na cidade. Segundo ele, assim que assumiu a prefeitura, ele reiniciou uma obra que estava parada: a duplicação da Argemiro de Figueiredo. Além do alargamento da Avenida Canal; implantação de corredores de ônibus; implementação do Terminal de Integração das Malvinas. Caso seja eleito, ele prometeu construir mais terminais de integração, inclusive um no bairro do Alto Branco, que iria fazer a interligação com os ônibus que chegam do Brejo paraibano.

São João e Eventos

Sobre o tema, Romero tratou o São João de Campina Grande como um dos maiores eventos do Nordeste e falou sobre a mudança que fez no formato do São João, mudando o local do palco principal. O prefeito também revelou que há um estudo para tirar o São João do Parque do Povo e levá-lo ou para o Complexo de Habitação Aluízio Campos ou em uma área próximo ao ginásio O Meninão. Ele afirmou que ainda se trata de um estudo e justificou dizendo que a estrutura passaria a ser fixa, economizando milhões todos os anos com a montagem. Outra justificativa foi a questão do trânsito e estacionamento para os carros.

Segurança Pública

Romero começou a falar deste assunto dizendo que a segurança pública é obrigação do Governo do Estado e que nesta parte a cidade está literalmente abandonada e que a população de Campina Grande está presa dentro de suas próprias casas. Por outro lado, ele afirmou que, no que concerne ao governo municipal, a atual gestão tem feito tudo que pode, como o investimento em área como praças e iluminação de LED. Ele disse, ainda, que pretende investir em curso de capacitação e geração de emprego e renda, principalmente nas áreas de alta vulnerabilidade social.

Habitação

Sobre habitação, Romero falou que desde que assumiu o cargo de prefeito de Campina Grande, já entregou, até o dia de hoje, 2.800 moradias. Em seguida, ele falou sobre o Complexo Habitacional Aluízio Campos, dito por ele como o maior complexo de habitação do país, com um investimento de 300 milhões de reais, sendo 23 milhões com recursos próprios da prefeitura. Segundo ele, o empreendimento já nasce maior que 180 municípios paraibanos. Ele estimou a meta de mais de quatro mil casas entregues para o próximo mandato.

Geração de Emprego e Renda

O candidato tratou do tema dizendo que está estimulando a vocação de Campina Grande. Segundo o prefeito, já há mais de 400 empresas inscritas para trabalhar no Aluízio Campos e que o empreendimento gerou mil empregos diretos. O prefeito citou ainda os números do Caged, ressaltando que houve um superávit na geração de empregos.

Saúde  

Romero começou falando que assumiu a prefeitura de Campina Grande com o desafio de lidar com cinco hospitais fechados na gestão anterior a dele. Ele falou que, para evitar mais fechamentos, municipalizou alguns hospitais, investiu no ISEA, com várias ações e construiu o Centro de Referência Regional em Saúde do Trabalhador de Campina Grande (CEREST). Para o próximo mandato, caso seja eleito, ele prometeu construir uma policlínica em cada distrito sanitário da cidade e universalizar a assistência básica para toda Campina Grande.

Pagamento a fornecedores

Romero falou que, quando assumiu a prefeitura de Campina Grande, recebeu o município com “dívidas de toda sorte”. “Tivemos que arrumar a casa e evidentemente estamos em um período de crise, estamos pagando na medida do possível. Eram problemas de toda ordem, como telefone cortado, luz, prédios que teriam que ser devolvidos. Então tem sido feito um esforço muito grande para arcar com essas ações”, disse.

Parcerias público-privadas

O último tema sorteado foi parcerias público-privadas. Para o prefeito, cada ação deste tipo precisa ser estudada. Ele afirma que, caso seja bom para a cidade, não vê problemas em ter parcerias com a iniciativa privada. “Tem que ter um pouco de cuidado e tentar fazer com que, na medida do possível, as ações sejam municipalizadas. Essa questão a gente não descarta, mas sempre observando de fazer no maior critério possível para não ser ruim para o município”, finalizou.

Considerações finais

Por fim, o prefeito agradeceu a todos e ao Sistema Correio pela entrevista e falou um pouco da sua história frente à prefeitura de Campina Grande. “Eu tenho dito que não sou de fala difícil, mas sou sincero. Não sou candidato a ator, quero continuar trabalhando, fazer o que continuamos fazendo mesmo em época de crise”, concluiu.





A série de entrevista dos programas Correio Debate, da Rádio e TV Correio, terá prosseguimento na segunda-feira (05) com a entrevista com o candidato David Lobão (Psol).




Relacionadas