terça, 01 de dezembro de 2020

Eleições
Compartilhar:

Prefeitos irão administrar R$ 60 bilhões nos próximos quatro anos

André Gomes / 30 de setembro de 2016
Foto: Mislene Santos
O vice-presidente do Tribunal de Contas do Estado (TCE-PB), André Carlo Torres, disse nessa quinta-feira (29), durante entrevista ao programa radiofônico Correio Debate, da 98 FM, que os 223 novos prefeitos paraibanos irão gerenciar cerca de R$ 60 bilhões nos próximos quatro anos. Para ele, é importante que a população saiba disso para que faça uma escolha mais consciente no próximo domingo.

André Carlo Torres também citou dados de interesse público como a questão de contratação de pessoal pelos atuais prefeitos. De acordo com ele, o TCE realizou um levantamento em abril desse ano sobre os contratados e prestadores de serviço nas prefeituras paraibanas.

“Sabemos que essa duas formas de contratação servem para colocar na gestão pessoas envolvidas com eleição. Descobrimos que de abril a julho foi identificado na rubrica ‘serviços de terceiros pessoa física’ um incremento de 33%, ou seja, 17 mil pessoas foram contratadas nas 223 prefeituras da Paraíba. Umas contrataram menos, outras mais, outras diminuíram, mas muita gente entrou por essa porta, sem concurso público”, disse o conselheiro.

Conforme André Carlo, o TCE está endereçando as informações sobre os contratados aos promotores eleitorais de todo o Estado para que eles, dentro das suas prerrogativas, verifiquem se a máquina administrativa está sendo usada nas eleições deste ano através desse tipo de contratação.

“Também estamos encaminhando para o Procurador-Geral de Justiça e para o Procurador Regional Eleitoral. Esse trabalho nosso serve para oferecer subsídios para o Ministério Público, mas principalmente para o cidadão que pode conferir todos os dados do seu município no site do TCE”, revelou.

Um outro tema abordado foi quanto os subsídios de vereadores. O vice-presidente destacou que o TCE está fazendo trabalho de orientação pedagógica com os presidentes de Câmaras Municipais sobre como devem fixar as remunerações. “Lembramos aos presidentes de Câmaras que analisem a remuneração da próxima legislatura e encaminhem os normativos para o TCE, para que façamos as análises”, disse.

 

Relacionadas