quarta, 19 de dezembro de 2018
Eleições
Compartilhar:

O que os candidatos pretendem para assistência social?

Alyf Santos / 15 de setembro de 2016
Foto: Ilustração Correio
Propostas para garantir acesso aos serviços de Assistência Social estão nos planos dos prefeitáveis de João Pessoa e Campina Grande. Os candidatos planejam executar os programas sociais voltados para o bem-estar coletivo e ampliar atendimento as famílias de baixa renda. Eles também pretendem ampliar ou construir cozinhas comunitárias, corrigir o valor do auxílio moradia e reavaliar programas de inclusões sociais. Confira as propostas:

Campina Grande

Adriano Galdino (PSB) – O candidato não apresentou propostas detalhadas referente à esta área em seu plano de governo apresentado no Tribunal Regional Eleitoral (TRE-PB).

Artur Bolinha (PPS) – Fomentar a criação e implementação de Tecnologias Sociais;  Criar o Mapa da Inclusão Social, com atualização permanente, para orientar as políticas públicas dessa área; Reavaliar os programas de inclusão e buscar novas fontes para seu fortalecimento; Instituir programa de atenção a idosos, moradores de rua e dependentes químicos.

David Lobão (PSOL) – O candidato não apresentou propostas detalhadas referente à esta área em seu plano de governo apresentado no Tribunal Regional Eleitoral (TRE-PB).

Romero Rodrigues (PSDB) – Implantar a Central de Denúncia e Violação de Direitos Humanos no Terminal de Integração; Implementar programas de inclusão produtiva, no núcleo urbano, em comunidades com maiores índices de vulnerabilidade social; Estabelecer ações de Proteção Social às famílias vítimas de álcool e outras drogas; Implementar o Programa de Segurança Alimentar, no sentido de oferecer Leite à criança de 0-6 anos, em cumprimento ao Plano da Primeira Infância, nutriz e idosos em risco e vulnerabilidade social.

Veneziano (PMDB) – Realizar Concurso Público para os Trabalhadores do Sistema Único de Assistência Social – SUAS, considerando a tipificação e suas proteções; Implantar o Plano de Cargos, Carreira e Vencimentos para os trabalhadores do Sistema SUAS, em conformidade com as Normas Operacionais Básicas / Recursos Humanos – NOB/RH; Descentralizar as estruturas físicas dos Conselhos Tutelares, implantando-os por região (Norte, Sul, Leste, Oeste); Construir unidades próprias, estilo padrão, dos Centros de Referência em Assistência Social - CRAS, atualmente funcionando em espaços alugados nos bairros do Catolé, Jeremias, Ramadinha, Catingueira, São José da Mata e Galante.

Walter Brito Neto (PEN) – O candidato não apresentou propostas detalhadas referente à esta área em seu plano de governo apresentado no Tribunal Regional Eleitoral (TRE-PB).

João Pessoa

Cida Ramos (PSB) – Garantia ao acesso a serviços e benefícios às famílias e indivíduos, de forma territorializada, descentralizada e intersetorial; Construção permanente do diálogo com os usuários, entidades não governamentais, profissionais e gestores, por meio dos diversos espaços de participação social; Valorização dos profissionais do SUAS.

Luciano Cartaxo (PSD) – Construção do Centro POP no Varadouro, construção do centro de referência e construção de padaria comunitária na comunidade quilombola em Paratibe, uma Casa de Acolhida do Idoso, 2 Novos CREAS, ampliar a rede de proteção básica nos CRAS. Reestruturação, ampliação e construção de cozinhas comunitárias dando ênfase a produção de alimentos e a formação técnica em gastronomia. Para implementar serviços de assistência jurídica gratuita, acesso à informação sobre direitos e mecanismos judiciais e extrajudiciais a moradores de comunidades de maior vulnerabilidade iremos construir o núcleo de justiça (Casa de Direitos).

Professor Charliton (PT) – Criar a estrutura de cargos, carreira e remuneração e realizar o primeiro concurso público para cumprir as orientações do NOB-RH-SUAS. A SEDES necessita abrir  vagas em concurso público para cargos técnicos de nível superior, para cuidadores/as, educadores/as e pessoal administrativo;  Corrigir o valor pago como benefício concedido pelo Auxílio Moradia, que atualmente é de R$ 200,00 (duzentos reais), considerando que há mais de 6 anos o valor não é reajustado;  Instituição por Lei do Orçamento da Criança e do Adolescente (OCA), visando contribuir com a quantificação exata do que se está investindo na gestão das políticas voltadas para a proteção de crianças e adolescentes, além dedar transparência aos gastos e ao mesmo tempo contribuir coma efetivação das dotações.

Victor Hugo (PSOL) – O candidato não apresentou propostas detalhadas referente à esta área em seu plano de governo apresentado no Tribunal Regional Eleitoral (TRE-PB).

 

Relacionadas