sexta, 04 de dezembro de 2020

Eleições
Compartilhar:

Eleições na PB podem ter reforço do Exército

Rammom Monte / 23 de agosto de 2016
Foto: Nalva Figueiredo
O presidente do Tribunal Regional Eleitoral da Paraíba, o desembargador José Aurélio da Cruz, afirmou nesta terça-feira (23) em entrevista ao programa Correio Debate, da Rádio 98 FM, que só irá solicitar a presença de tropas federais na Paraíba em caso de necessidade extrema. Ao mesmo tempo, ele deixa em aberto a possibilidade e reforça o apoio da Polícia Militar.

“Ainda é tempo. Eu converso muito com juízes e digo a eles que só será necessário a solicitação de tropas federais se realmente tiver uma motivação suficiente para tanto. A Polícia Militar tem nos dado segurança em todas essas eleições que eu participei, inclusive quando fui coordenador da propaganda eleitoral em Campina Grande.Trabalhamos naquela oportunidade em 96 com a PM e não teve qualquer problema nas eleições", afirmou.

O desembargador completou explicando que os casos que surgirem serão levados ao TSE. "Essa solicitação será encaminhada ao  TRE  e o presidente da Corte encaminhará para a Corte apreciar e homologar. Essa homologação será objeto de encaminhamento para o TSE que, por sua vez, também fará uma análise de viabilidade ou não dessas tropas federais solicitadas e, por sua vez deferido, encaminhará para a presidência da República, que provavelmente encaminhará às Forças Armadas para o cumprimento da solicitação”, explicou.

O presidente falou, ainda, que já realizou três reuniões em Patos, Campina Grande e João Pessoa para discutir a segurança do local. “Eu tenho feito reuniões. Em João Pessoa, Campina Grande e Patos, fizemos reuniões com as forças de segurança, compondo o Comando Geral da PM, secretario de segurança, o comandante do primeiro Grupamento de Engenharia, bem como o superintendente da Polícia Federal e o superintendente da Polícia Rodoviária Federal. Todo este contingente foi importante nestas três reuniões que nós destacamos e ali nos criamos um condicionamento de instalarmos o Sistema de Concentrado de Controle. Isto visando dar subsídios às forças de seguranças e aos juízes eleitorais bem como promotores eleitorais nas regiões mais longínquas”, completou.

Aplicativo que vai fiscalizar os políticos

Nesta quinta-feira (25), o Tribunal Regional Eleitoral irá lançar o aplicativo Pardal próprio para dispositivos móveis (celulares e tablets). O sistema está voltado à fiscalização, por parte dos eleitores, para informar à Justiça Eleitoral e ao Ministério Público (MP) irregularidades encontradas nas campanhas eleitorais em seus municípios nas Eleições Municipais de 2016.

“Com este sistema o eleitor será sempre um fiscal da eleição. Ele gravará aquela denúncia, aquele ilícito eleitoral, qualquer que seja. O eleitor de posse deste aplicativo lançará mão de qualquer denúncia que porventura existir. Filmará, tirará foto e encaminhará para o TRE, que lá nós teremos um local específico para receber estas denúncias. É um link direto”, finalizou.

 

Relacionadas