sexta, 26 de fevereiro de 2021

Eleições
Compartilhar:

Deputados estaduais se preparam para 2018 de olho no ‘terreiro alheio’

Alexandre Kito / 21 de maio de 2017
Foto: Divulgação / ALPB
Mesmo faltando mais de um ano para as eleições estaduais, muitos deputados já estão se movimentando intensamente em busca de apoio, não só nas bases eleitorais, mas também fora delas. Com estratégias visando à necessidade de conquistar mais eleitores - para garantir um novo mandato - alguns já buscam no ‘terreiro’ de outros parlamentares. Outros aproveitam as ações da Assembleia Legislativa, como uma possibilidade para expandir o território.

Algumas articulações têm até gerado desentendimentos entre eles nos bastidores da Casa. A maioria dos deputados tem como planejamento esconder os municípios onde estão articulando formas de atrair aliados. Por isso, o trabalho realizado por eles tem início cedo, bem antes do período das eleições. Pavimentar as bases eleitorais dos colegas para emplacar mais um mandato parlamentar tem causado intrigas, inclusive, entre os integrantes da mesma bancada no Legislativo Estadual.

Durante a semana passada, quem comprou a briga dos colegas foi João Gonçalves (PDT). Revoltado, o deputado acusou um colega de bancada de se infiltrar nas bases de outros seis parlamentares governistas, com o objetivo de atrair votos e promover alianças. “Conversei com os companheiros e estou querendo ser porta voz da denúncia deles para resolver o problema. Não é justo que interferir o trabalho feito por outro”, explicou.

Nos bastidores, denúncias como a de João Gonçalves são constantes na Casa. A ‘invasão' no território alheio já teria provocado alguns confl itos nas duas bancadas, de situação e oposição. “Todos nós temos a necessidade de ampliar as nossas bases políticas. Mas, as coisas não podem partir de uma iniciativa própria do deputado, pois é uma comunhão de conjunturas que vão acontecendo. Perdemos apoio aqui e conquistamos ali”, confessou Guilherme Almeida.

Planejamento é necessário

Jutay Meneses (PRB) justificou a necessidade de fazer um planejamento para que não ocorram divergências. Com bastantes votos na região Metropolitana e no Sertão ele afirmou a pretensão de conquistar outros espaços. Mas, prefere o contato direto com o eleitor à liderança. "A eleição se dar em outubro, mas não dá para fazer uma campanha faltando três meses para o pleito. Tem que planejar, ouvir as pessoas e conversar com elas a respeito do seu mandato. Para assim criar a estratégia e ficar mais claro sobre os locais aonde visitar e aonde você precisa se fortalecer para aglutinar mais lideranças", disse o parlamentar.

A articulação acontecem muitas vezes pela baixa na votação que os deputados terminam tendo em bases antigas, que acaba sendo ocupada por novos.

Mandato ajuda nos acordos

Alguns deputados aproveitam os compromissos firmados através do mandato na Assembleia para aumentar o número de bases eleitorais. A socialista Estela Bezerra é uma das que associa a sua base ao mandato exercido por ela no Legislativo. Decidida a disputar novamente o mandato de deputada estadual, a parlamentar já tem participado de ações em que acredita que contribuirá para retorna à Casa. “Eu tenho uma atividade em defesa da população em alguns territórios. Cheguei ao Sertão, ao Cariri, a Região da Borborema e na Região de João Pessoa, que é onde tenho notadamente a minha vida política. Não tenho pensamento eleitoral, eu tenho pensamento político. Eu fui às regiões onde eu fui demandada, onde existe ausência de algumas intervenções e onde pude contribuir. Veja um exemplo: tem uma cidade muito distante da Capital, que é a Cachoeira dos Índios, onde eu contribuí muito e torci por uma renovação. Talvez lá eu tenha um apoio do poder local que vai me possibilitar representar esses interesses”, ressaltou.

Bosco Carneiro (PSL) também admitiu que a estratégia para ampliar os votos tem sido através do mandato parlamentar. “Eu fui votado em 89 municípios. A maioria em cidades do Brejo. Minha estratégia tem sido avançar em mais municípios através da minha atuação enquanto deputado mesmo, inclusive, porque quando eu fui eleito, eu estava sem mandato. Agora, com o mandato tenho defendido categorias e visitado outras regiões trabalhando pela Casa, onde acredito que vai influenciar na ação de pleitear a eleição”, justificou.

Leia Mais

Relacionadas