quinta, 22 de fevereiro de 2018
Eleições
Compartilhar:

Crise na segurança será foco dos pré-candidatos ao governo na PB

Alexandre Kito / 13 de Fevereiro de 2018
Foto: Ilustração
Os dois principais grupos políticos que irão disputar as eleições desse ano na Paraíba têm montado a estratégias de desconstruir as ações realizadas pelas gestões administradas, tanto das Prefeituras de João Pessoa e Campina Grande, como do Governo do Estado. O grupo de oposição tem utilizado o mesmo discurso adotado pelo senador Cássio Cunha Lima (PSDB) há quatro anos, quando disputou o Palácio da Redenção com o governador Ricardo Coutinho (PSB). Temas como a Segurança Pública tem sido o foco oposicionista, já que é uma das maiores problemáticas do estado. Do outro lado, Ricardo Coutinho constrói seu discurso voltado às obras que tem sido realizadas pela gestão.

O socialista tem comparado constantemente o trabalho feito pelo Executivo Estadual com as atividades que têm sido apresentadas pelo prefeito da Capital, Luciano Cartaxo (PSD). Ontem, o governador voltou a declarar que os opositores ao governo na Paraíba não saberiam sequer o que fazer com o Estado.

Ele elencou os projetos que estão sendo desenvolvidos pela sua gestão e acrescentou que o seu foco são as obras. “Se você olhar para os opositores do governo eles não têm nenhuma ideia, não sabem e nem querem saber o que fazer com o Estado. Eles querem o poder pra dividir entre eles, a família, os grupos e ficar por ali mesmo. Eles não tem projeto político” disse.

O gestor alega, inclusive, que tem sido responsável por muitas das ações realizadas em João Pessoa, que poderiam ter sido construídas pela prefeitura municipal, mas que só aconteceram por causa do trabalho realizado pelo Governo do Estado. Além disso, Ricardo Coutinho tem tentado fortalecer o discurso fazendo comparações dos feitos positivos realizados pela atual gestão em comparação às atividades de autoria dos governos passados, que não foram tão bem sucedidas.

O governador, que tem o comando do PSB e que anunciou o nome do secretário João Azevedo para disputar a vaga ao governo estadual, já disse que o grupo de oposição não tem argumentos para vencer o pleito. Segundo Ricardo Coutinho, os adversários não argumentos para criticar a administração feita por ele. “Eles não vão ganhar nenhum debate porque eles têm sido pouco éticos. Onde eles governaram, não agregaram nada, não têm compromisso com políticas públicas e também não sabem o que ter ousadia”, disse o socialista. O PSB tem se apegado ao discurso de defender as obras inauguradas por Ricardo Coutinho durante os anos em que estar como governador.

“A estratégia é incoerente”

A oposição rebateu o governador. O senador Cássio Cunha Lima, que foi governador da Paraíba, considerou a estratégia de Ricardo Coutinho incoerente. “Parte dos projetos que ele apresenta como saldo do seu governo são projetos do período em que eu governei a Paraíba”, disse o senador. Recentemente, tanto ele quanto Luciano Cartaxo, pretenso candidato ao governo pelo grupo de oposição, resolveram utilizar discursos que eram utilizados pelo próprio Cássio Cunha Lima, no passado, para criticar a gestão de Ricardo Coutinho. Temas como a Segurança Pública tem sido alvo recente do grupo.

Ricardo Coutinho apresentou dados sobre a segurança pública e alegou que o pior momento da Paraíba em relação à violência foi durante o governo administrado por Cássio Cunha Lima. O tucano revidou. “Passados sete anos, o governador Ricardo ainda tenta transferir a responsabilidade por não ter resolvido o problema da segurança, como prometeu. Ora culpa os governos anteriores, ora os prefeitos, os comerciantes, os bancos e até a população”, disse o senador. A oposição diz que o povo quer renovação. Ricardo Coutinho afirma que o povo quer a continuidade do projeto.

Relacionadas