quarta, 14 de novembro de 2018
Eleições
Compartilhar:

Cícero Lucena ‘sepultou’ os Braga no pleito de 1996

Adelson Barbosa dos Santos / 11 de setembro de 2016
Foto: Arquivo
O indeferimento de candidatura de Lúcia Braga a prefeita de João Pessoa, às vésperas do pleito de 1992, pela Justiça Eleitoral, resultou na transferência de votos dela para seu substituto, Chico Franca (PDT), que derrotou Chico Lopes (PT). Mas a então deputada federal não de conformou. Resolveu disputar o Governo do Estado nas eleições seguintes, em 1994, contra Antônio Mariz (PMDB).

Chegou a liderar as pesquisas de intenções de votos, mas o escândalo dos carros roubados, sob a responsabilidade do então candidato a deputado, Gesner Caetano, impôs a Lúcia uma derrota acachapante e Antônio Mariz ganhou em segundo turno. Aliás, Mariz ganhou nos dois turnos, tamanho o escândalo dos carros roubados usados na campanha da candidata do PDT.

Mas a derrota histórica para o Governo do Estado não a fez desistir. Em 1996, ela voltou a enfrentar o PMDB na disputa pela Prefeitura da Capital e levou outra lapada histórica. O PMDB, que tinha elegido o primeiro prefeito da Capital pela via direta após 21 anos de ditadura em 1985 (Antônio Carneiro Arnaud), numa aliança com o PFL dos Braga, amargou derrotas nas duas eleições seguintes para o mesmo esquema do PFL/PDT (1988 e 1992).

O partido, que elegeu Mariz para governador, iniciando o declínio completo dos Braga, não estava mais disposto a entregar a Prefeitura aos adversários.

Mas Lúcia não deu-se por satisfeita. Enfrentou sete candidatos. Naquele pleito, o PFL já não estava mais com ela, que se entendeu com o PC do B. No embate direto com Cícero Lucena (PMDB), foi mais uma vez derrotada. Cícero teve como vice o empresário Reginaldo Tavares (PFL) e obteve em primeiro turno 89.457 votos (42,64% dos válidos). Ela teve como vice o comunista Simão Almeida e ficou em segundo, com 51.982 votos (24,78% dos válidos).

21 partidos disputaram eleições

A eleição poderia ter sido decidida no primeiro turno, se não fosse a grande quantidade de candidatos. Oito disputaram as eleições de 1996 para prefeito de João Pessoa. Naquele ano, 21 partidos participaram a disputa para prefeito e vereador em seis coligações e duas chapas individuais.

O PMDB de Cícero se coligou com apenas quatro partidos: PL, PSL, PFL e PTB. O PDT se juntou ao PPB e PC DO B. O PT se juntou com PPS e PV. O PSB se coligou com o PSDB. O PRP fez coligação com PRN e PSDC. PSTU saiu sozinho. O mesmo ocorreu com o PCO. Por fim, o PMN se uniu ao PSD e PSC

No pleito anterior (1992), somente sete partidos entraram na disputa: PT, PMN, PTB, PST, PSDB, PMDB e PDT. Em 1988, a disputa envolveu sete legendas: PFL, PV, PTB, PT, PMDB, PDT e PTRB. Em 1985, foram seis partidos: PL, PMDB, PDT, PTB, PSTU e PT. Em segundo turno, o empresário Cícero Lucena aumentou sua votação para 115.937 votos, o equivalente a 55,36% dos eleitores que compareceram às urnas.

Cícero ganhou 25.480 votos a mais. Lúcia obteve 93.494 votos, o equivalente a 44,64% dos eleitores que votaram no segundo turno. Ela ganhou mais 41.512 votos no segundo turno.

PMDB deitou e rolou no ano 2000

Uma grande parcela do eleitor não queria votar em qualquer candidato no segundo turno de 1996, como indicam os números do Tribunal Regional Eleitoral da Paraíba. Tanto que 22.674 anularam seus votos e a abstenção foi uma das maiores já registradas: 19,72%.

Isso significa que 57.942 eleitores não foram às urnas no segundo turno porque não queriam Cícero e, muito menos, Lúcia Braga.

Essa tendência de rejeição teve início no primeiro turno, quando a abstenção foi de 55.312 (18,83%). Os votos nulos no primeiro turno (25.274) foram superiores aos nulos no segundo turno (22.674).

Os prefeitos eleitos em 1996 tinham direito à reeleição no ano 2000. Fortalecido e sem qualquer Braga no cenário, o PMDB deitou e rolou: Cícero Lucena foi reeleito.

Com 25 partidos em cena, e sem uma liderança forte na disputa, Cícero impôs uma acachapante derrota a Luiz Couto, candidato do PT.

Fez uma coligação com 21 partidos e venceu em primeiro turno por 193.156 votos (74,02% dos válidos). Luiz Couto, em segundo lugar, coligado apenas com o PC do B, obteve 54.849 votos (21,02% dos votos válidos). O vice de Cícero foi Haroldo Lucena (irmão do senador Humberto Lucena), também do PMDB.

O vice de Couto foi Walter Aguiar. Lourdes Sarmento (PCO) obteve 6.104 votos (2,34%). O vice dela foi Paulo Rodrigues da Silva, do mesmo partido. O PSTU disputou com Alexandre Arruda Ramalho Ribeiro, tendo como vice Tânia Maria de Oliveira Brito. Obtiveram 4.908 votos (1,88%).

Relacionadas