sábado, 19 de setembro de 2020

Política
Compartilhar:

Deputados divergem impedimento da PB de contrair empréstimos

Alexandre Kito / 26 de outubro de 2016
Foto: Divulgação
O rebaixamento da Paraíba no ranking do Tesouro Nacional, que impede a administração estadual de contrair empréstimos internacionais, dominou os debates dessa terça-feira (25) na Assembleia Legislativa. O governador Ricardo Coutinho (PSB) afirmou que vai acionar a Justiça, mas os parlamentares das bancadas de oposição criticaram os gastos excessivos do Executivo. No grande expediente, a presença da maioria em plenário contribuiu para que houvesse a votação de matérias.

O líder da bancada de oposição, Renato Gadelha (PSC), ressaltou que o governo do Estado precisa diminuir as despesas. Ele fez criticas ao Executivo acusando que houve aumento de impostos e nas contratações de servidores comissionados, com gastos que chegam a 64% do orçamento do Estado com a folha de pessoal. “Se você sabe que a folha está caindo e você aumenta a despesa, essa conta não vai fechar. Então o governo tem que ser responsável”, disse Gadelha.

O governo justificou o rebaixamento com a diminuição dos repasses do Fundo de Participação dos Estados (FPE). A diminuição provocou o aumento no percentual dos gastos do Estado com a folha de pessoal.

O líder da bancada de situação na Casa, Hervázio Bezerra (PSB), criticou as acusações dos colegas de oposição e explicou que é natural que ocorra aumento da despesa com pessoal, já que a receita caiu. “A decisão do Governo Federal afeta a Paraíba, pois interfere na manutenção do ritmo de crescimento. O Governo quer aval para que possa contrair e pagar os empréstimos que foram solicitados”, destacou Hervázio.

Relacionadas