quinta, 21 de janeiro de 2021

Política
Compartilhar:

Deputados articulam mudar de partido até o início do próximo mês

Alexandre Kito / 17 de fevereiro de 2018
Foto: Arquivo
Um terço dos deputados da Assembleia Legislativa está articulando mudar de partido até o início do próximo mês. Pelo menos 12 dos parlamentares eleitos devem mudar de sigla. A maioria deles através de estratégia que visa a permanência na política ou a busca pelo projeto político o qual defende para as eleições desse ano. Eles planejam abandonar suas legendas e realizar a troca, durante a “janela partidária”, que esse ano vigora a partir de março.

Eles estão aguardando o prazo em que o parlamentar realiza a mudança sem correr o risco de perder o mandato. Alguns dos deputados da base governista, que é maioria na Casa, estão unidos com a finalidade de se filiar em siglas que permitam fortalecer o projeto do PSB para eleger o secretário de Recursos Hídricos do estado, João Azevedo, para governador. Eles estão em busca de partidos que possam oficializar o apoio aos socialistas.

Branco Mendes, que atualmente está no PEN, já confirmou que vai deixar seu atual partido e é um dos parlamentares que está organizando o fortalecimento da campanha de João Azevedo. “Estamos dialogando, nós deputados, empenhados para tomar uma decisão. Quem sabe formar um bloco para um partido que ofereça sustentabilidade para o projeto do governador Ricardo Coutinho (PSB). Vamos fazer o possível para até o fim de março decidir qual sigla vamos nos filiar, pois é um sentimento de todos nós de fazer essa renovação”, explicou Branco Mendes.

Expulso da legenda

O caso mais emblemático foi o do deputado Inácio Falcão. O parlamentar, segundo ele mesmo, foi vítima de uma ‘rasteira partidária’. No fim do ano passado, ele foi surpreendido com a decisão do Diretório Estadual do Avante em expulsá-lo da legenda. A expulsão foi oficializada e o parlamentar está em busca de uma nova filiação. Ele também deve esperar a “janela partidária” para definir um novo partido.

Disputa de novas filiações

Quem também está envolvido com o mesmo objetivo é Trócolli Junior (Pros). O deputado ainda não definiu que vai realmente sair da atual legenda. Antes ele quer convencer a Executiva Estadual de ‘marchar ‘ ao lado do PSB durante o pleito.

Caso isso não aconteça, Trócolli já tem recebido convites de outras agremiações para se filiar. “Tenho tido convites para migrar, mas ainda estou esperando porque quero uma legenda que acompanhe o projeto político que eu defendo. Estou trabalhando para que o Pros possa se alinhar ao projeto de João Azevedo, por isso ainda estou aguardando”, disse Trócolli.

Outro caso de insatisfação é de João Henrique. O parlamentar, que faz oposição para o governador do Estado é filiado ao Democrata, que atua na Paraíba como grande aliado do gestor.

As divergências causaram a insatisfação do deputado, que reconhece que não há mais condições de permanecer na sigla. Ele deve se filiar ao PSDB. “Vou ter o mês de março para fazer mobilidade de mudança de partido. Estamos propenso a sair do Democratas até porque lá de deputado só temos eu e um suplente. Para uma futura eleição não sei como isso poderá funcionar. Sou oposição e não tenho visto espaço que possa me acomodar na legenda”, afirmou.

Nabor Wanderley não descarta a possibilidade de deixar o MDB durante o período de abertura da “janela partidária”. Ele, juntamente com outros emedebistas, tem trabalhado pela aliança da sigla com o PSB, do governador.

Deputados. Maioria vai continuar nas legendas atuais.

Adriano Galdino (PSB)

Anísio Maia (PT)

Antônio Mineral (PSDB) – mudar

Arnaldo Monteiro (PSC)

Branco Mendes (PEN) - mudar

Bruno Cunha Lima (PSDB)

Buba Germano (PSB)

Caio Roberto (PR)

Camila Toscano (PSDB)

Daniella Ribeiro (Progressistas)

Doda de Tião (PTB)

Edmilson Soares (PEN) - mudar

Estela Bezerra (PSB)

Frei Anastácio (PT)

Galego Sousa (Progressistas)

Genival Matias (Avante)

Gervásio Maia (PSB)

Inácio Falcão - sem partido

Janduhy Carneiro (Podemos) - mudar

Jeová Campos (PSB) - mudar

João Bosco Júnior (PSL) - mudar

João Gonçalves (PDT)

João Henrique (DEM) - mudar

Jullys Roberto (MDB) - mudar

Jutay Meneses (PRB)

Lindolfo Pires (Pros) - mudar

Manoel Ludgério (PSD)

Nabor Wanderley (MDB) - mudar

Raniery Paulino (MDB)

Renato Gadelha (PSC)

Ricardo Barbosa (PSB)

Ricardo Marcelo (MDB)

Tião Gomes (Avante) – deixou o PSL

Tovar Correia (PSDB)

Trócolli Júnior (Pros) - mudar

Zé Paulo (PSB) - mudar

Relacionadas