terça, 11 de dezembro de 2018
Política
Compartilhar:

Com 31,6% de candidatas, participação feminina nos pleitos ainda é mínima

Damásio Dias / 17 de agosto de 2018
Foto: Reprodução
Após o prazo para a apresentação dos pedidos de registro de candidatura, encerrado na quarta-feira, o pleito de outubro na Paraíba segue agora com 595 postulações - 12 a mais que na mesma fase da eleição de 2014. Segundo os dados disponíveis no site da Justiça Eleitoral são 407 candidatos homens (68,1%) e 118 mulheres (31,6%). Os números ainda podem ser alterados, porque os pedidos ainda serão julgados pelo Tribunal Regional Eleitoral, que podem indeferir as solicitações e abrir espaço para substituições, ou ainda haver desistências.

O número total de mulheres no pleito cresceu em apenas duas. Na disputa pelo cargo de governador, elas voltam a ter representação na figura da professora Rama Dantas (PSTU), e três vices: Lígia Feliciano (PDT), Micheline Rodrigues (PSDB) e Adjany Simplício (Psol). Na batalha pelo Senado, a deputada progressita Daniella Ribeiro é a única titular. Entre suplentes, estão Eva Gouveia (PSD), Isa Arroxelas (PSDB), Nailde Panta (Progressistas) e Suely Santiago (PTB).

Faixa etária

O pleito de 2018, conforme os dados da Justiça Eleitoral, tem o senador José Maranhão (MDB) como o mais idoso, com 85 anos. O segundo é o ex-deputado estadual Sócrates Pedro (PSC), que tem 80 anos. Na outra extremidade do gráfico, vem o estudante Eduardo de Doutor Climélio, com 21 anos, candidato a deputado estadual. Em seguida o estudante e ativista Patrick Dorneles (PSDB), também com 21 anos (nasceu três meses antes do mais jovem).

Chama a atenção o fato de não haver candidatos na faixa dos 18 aos 20 anos, como aconteceu na eleição geral anterior. Na disputa de 2014, a maioria estava na casa dos 45 a 49, seguida da de 50 a 54.

A maioria dos concorrentes deste pleito tem entre 40 e 59 anos, sendo a maior concentração na faixa dos 50 a 54.

Chances

O cargo mais concorrido é o de deputado federal com 158 disputando 12 cadeiras (média de 13,17 por vaga), seguido de deputado estadual com 406 concorrentes a 36 postos (11,28). Sete tentam ganhar duas vagas no Senado (3,5) e cinco querem governar a Paraíba a partir de janeiro de 2019.

Quase metade é formada

Numa época em que se exige cada vez mais uma boa formação para exercer qualquer cargo público, principalmente os preenchidos através de concurso público, quase metade dos candidatos nas eleições deste ano tem o curso superior completo. São 49,75% dos postulantes. Já o incompleto é a instrução declarada por 9,58%.

Aqueles que têm o ensino médio completo são 26,55%. Já aqueles que ainda não concluíram o antigo 2º grau são 2,86%. No ensino fundamental incompleto são 5,71% e outros 5,21% concluíram essa fase da educação. Há dois candidatos que declararam saber ler e escrever.

Faz o quê?

A ocupação mais declarada pelos candidatos é a de Outros (o cadastro não deixa claro), seguida da de empresário com 8,74%, de advogado (6,39%) e deputado (6,05%).

Policial militar (4,2%) e estudante, bolsista, estagiário e assemelhados (4,2%). Médico foi informado por 3,19%. Os servidores públicos ocupam a 8ª posição, com 3,03%.

Relacionadas