quinta, 26 de novembro de 2020

Política
Compartilhar:

Cássio fala em novas eleições para presidente após Lula virar alvo da Lava Jato

Nice Almeida / 04 de março de 2016
Foto: Nalva Figueiredo
Após a deflagração da 24ª fase da Operação Lava Jato, que coloca o ex-presidente Lula como alvo das investigações do esquema de corrupção que envolve a Petrobras, o PSDB volta a fortalecer a ideia do impeachment contra a atual Presidente da República, Dilma Rousseff. O senador Cássio Cunha Lima, líder do PSDB no Senado, revelou, durante coletiva concedida hoje em Brasília, que o partido irá aditar ao pedido de cassação contra a petista, as delações premiadas com as novas informações da investigação.

"Vamos pedir que a justiça eleitoral analise todas essas informações, porque fica claro que a eleição 2014 foi viciada pelo abuso de poder político e econômico. E as novas eleições, a partir de uma decisão do Tribunal Superior Eleitoral, ao nosso entender é a melhor saída para o Brasil, porque devolve a soberania popular através do voto", disse Cássio.

Segundo ele, a falta de confiança motivada pelos escândalos é o que tem gerado a crise econômica. "Essa crise econômica que cresce o desemprego, aumenta a inflação, a crise é muito grave e ela tem nome e endereço: Dilma Rousseff, Palácio do Planalto. E dentro da Constituição, através da lei, temos uma saída, que é o impeachment, e o outro caminha através de novas eleições", enfatizou.

Com relação ao ex-presidente Lula, o senador ponderou que é preciso investigar, mas também dar o direito ao contraditório. "Numa democracia séria, ninguém está imune a investigação. Por mais respeito que se deva a um ex-presidente da República, nem mesmo ele está imune. É hora de respeitar a Constituição, cumprir a lei não fazer pré-julgamento, dar direito a ampla defesa, ao contraditório e apoiar as investigações", ressaltou.

Relacionadas