sexta, 18 de setembro de 2020

Política
Compartilhar:

Ritmo do impeachment não será alterado

Mislene Santos / 26 de maio de 2016
Foto: Agência Senado
O líder da oposição no Senado, Cássio Cunha Lima (PDB), disse ao Correio Online que o vazamento dos áudios do ex-presidente da Transpetro Sérgio Machado com integrantes da cúpula peemedebista, que apontam que teria havido um suposto acordo para afastar a presidente Dilma Rousseff (PT) do governo, não muda em nada o andamento dos trabalhos da Comissão Especial do Impeachment da Casa.

Segundo o senador, a presidente Dilma foi afastada do cargo por conta dos “crimes de responsabilidade” cometidos pela petista e essas evidências não têm a ver com o andamento dos novos fatos. “Não há nenhuma razão para mudar o ritmo dos trabalhos. O impeachment ocorreu pelos graves crimes de responsabilidade praticados pela presidente Dilma”, reforçou Cássio Cunha Lima.

O tucano disse, ainda, que a grave crise que o Brasil atravessa é de culpa exclusiva da presidente Dilma Rouseff. “Ela (Dilma) quebrou o Brasil e nos deixou uma herança maldirá com um rombo de R$ 170 bilhões, desemprego e inflação”, arrematou o senado.

Relacionadas