domingo, 08 de dezembro de 2019
Política
Compartilhar:

Caravana com 100 prefeitos e gestores paraibanos será recebida por Temer

Adriana Rodrigues / 27 de setembro de 2017
Foto: Reprodução
Eles pretendem pedir ajuda financeira e aumento de recursos em repasses de verbas dos programas sociais do Governo Federal, executados nos municípios, a exemplo do Programa Saúde da Família (PSF) e o Samu.

De acordo com o presidente da Federação das Associações dos Municípios da Paraíba (Famup), Tota Guedes, a audiência foi articulada pelo senador Raimundo Lira, líder do PMDB no Senado, como forma de auxiliar os prefeitos paraibanos a buscar alternativas para crise financeira e na queda dos recursos do Fundo de Participação dos Municípios (FPM), principal fonte de renda das Prefeituras, que impossibilita os gestores honrar os compromissos previstos para este ano e todos os encargos funcionais. “O que queremos é uma ajuda extra, como já tivemos no passado, com a ex-presidente Dilma Rousseff, que em 2014, por conta da redução no repasse do FPM, liberou uma parcela extra para os municípios, em forma de socorro”, comentou o presidente da Famup, revelando que se houve essa liberação os cofres dos municípios terão um aporte extra no valor de R$ 4,5 bilhões, para ser divido para todos.

Tota Guedes disse, ainda, que 100 prefeitos paraibanos já confirmaram presença na caravana que vai apresentar esta pauta de importantes reivindicações ao presidente Michel Temer. Durante a audiência, os gestores também vão discutir a aprovação emergencial da PEC 29/2017, de autoria do senador Raimundo Lira, que cria um adicional de 1% do Fundo (FPM) para todos os Municípios brasileiros, no mês de setembro, a exemplo do que já ocorre nos meses de junho e dezembro. O presidente da Famup disse ainda, que a caravana contará também com prefeitos do Piauí, Ceará, Rio Grande do Norte e Pernambuco. “Neste momento é importante a participação de todos que lutam em defesa da pauta municipalista, não só os gestores, mas representantes das entidades e os parlamentares”, comentou Guedes.

Relacionadas