quinta, 27 de junho de 2019
Política
Compartilhar:

Candidatura está nas mãos do partido e do povo, diz Gervásio Maia

Alexandre Kito / 30 de março de 2017
Foto: Arquivo
O presidente da Assembleia Legislativa, Gervásio Maia (PSB) admitiu ontem o desejo que tem em disputar o Governo do Estado nas eleições do próximo ano. Mas, alegou que tudo vai depender do cenário que será posto durante o processo eleitoral. As declarações foram feitas durante entrevista no Programa Correio Debate, da 98 FM. Na ocasião, o parlamentar também afirmou que torce pelo apoio do PMDB ao seu partido, o PSB, para o pleito de 2018.

Na tentativa de minimizar o debate e não antecipar os planos para as eleições do próximo ano, Gervásio Maia disse que seu maior objetivo, no momento, é permanecer trabalhando para que a sua legenda mantenha o ritmo administrativo durante este ano. “É uma revolução de trabalho que tem acontecido na Paraíba”, ressaltou. Porém, ele não descartou concorrer o cargo de governador do Estado, caso seja escolhido como o melhor nome para a disputa. “Não posso dizer que não tenho desejo de ser governador. Mas, tudo depende do cenário, do partido, das alianças e do sentimento popular”, explicou o socialista.

Questionado sobre a possibilidade de aliança com o PMDB, o presidente Gervásio Maia garantiu que torce para que os partidos possam estar juntos no pleito. Pelo fato de ter sido filiado por muitos anos ao PMDB, o deputado acredita que os projetos da legenda são muito parecidos com o do PSB, na Paraíba. Ele também elogiou o trabalho que foi realizado pelo senador José Maranhão (PMDB), que já foi governador por três vezes. “Não tenho dificuldade em dizer que torço para que as coisas avancem.

Gervásio Maia tem buscado conciliar sua agenda administrativa com os compromissos do governador Ricardo Coutinho (PSB). Ele também pontuou ações realizadas pelo Executivo Estadual, a exemplo das obras do Hospital Metropolitano de Santa Rita, e reafirmou a satisfação que sente em ter se filiado ao PSB. “Eu penso que a Paraíba jamais vai querer voltar ao retrocesso da política pequena que durou tanto tempo”, comentou.

Leia Mais

Relacionadas