segunda, 10 de maio de 2021

Política
Compartilhar:

Candidatos intensificam campanha e buscam indecisos

Adriana Rodrigues / 08 de setembro de 2018
A 29 dias para as eleições deste ano, os cinco candidatos que estão na disputa pelo Governo do Estado vão reforçar ainda mais as estratégias de campanha para chegar cada vez mais perto dos eleitores e pretendem colocar o pé na estrada para visitar o maior número de municípios possível.

Todos eles vão programar ações mais contundentes para ampliar o eleitorado, tentar roubar votos dos adversários e atrair os indecisos nesta reta final da campanha e vão se apresentar como os melhores para governar a Paraíba a partir de 1º de janeiro de 2019. E não estão preocupados com os resultados de pesquisas de intenções de votos, querem continuar trabalhando para garantir o sucesso nas urnas.

João Azevedo (PSB), candidato a governador pela coligação ‘A Força do Trabalho’, avaliou que a campanha está muito boa, com atividades intensas. Mas que será ainda mais intensificado a partir dos próximos dias.

De acordo com o socialista, a Caravana do Trabalho, que é uma das atividades da campanha, tem passado por vários municípios da Paraíba. “Já fomos em mais de 100 cidade. Até o fim, pretendemos percorrer as demais. Sempre com uma grande receptividade por parte da população, que reconhece esse projeto e sabe efetivamente o que é esse processo de construção da Nova Paraíba, que aconteceu de verdade”, comentou.

João Azevedo disse ainda que, nessa reta final, manterá o mesmo ritmo que vem tendo desde do primeiro dia da campanha, com a participação nos debates. “Nos debates fica claro a apresentação das propostas e a diferença existente entre aqueles que só têm o discurso, mas não têm a prática. É isso que nós estamos fazendo e é isso que nós estamos levando e vamos continuar levando para todos os recantos da Paraíba”, declarou.

No que diz respeito ao resultado das pesquisas de intenção de votos, o candidato socialista revelou que não se deixa levar por elas e sua preocupação é com o resultado das urnas.

“Não analiso muito pesquisas. Para mim elas são uma fotografia do momento. Assim, seus resultados vão depender muito do fotógrafo que vão tirá-las e dos equipamentos que se utilizam. Então eu não tenho essa preocupação, com os resultados. Eu acho que a grande pesquisa vai ser no próximo dia 7 de outubro e eu não tenho dúvida nenhuma de qual será o resultado”, comentou.

Maranhão vai buscar atrair indecisos

O senador José Maranhão (MDB), candidato a governador pela coligação ‘Porque o povo quer’, revelou que vai buscar os eleitores indecisos e convencê-los que ele possui o melhor projeto para governar a Paraíba. “Vamos intensificar as conversas com os eleitores, principalmente os indecisos, para que eles sejam convertidos para o nosso projeto, nessa reta final. Saberão distinguir o joio do trigo”, comentou.

De acordo com o candidato emedebista, a partir de agora será o momento em que se intensificam as comparações destacando os aspectos que são mais relevantes para o eleitor tomar a decisão. “Também será o momento de intensificar o contato com a população, com a militância para mobilizar a todos sobre a importância de colocar a Paraíba de volta nos trilhos do desenvolvimento”, declarou.

Maranhão também destacou que por ser uma campanha em que os debates são muito importantes, será um momento também de preparação para que o eleitor faça dessa oportunidade de avaliar bem cada candidato uma forma de decidir o voto de forma consciente. “Assim, vamos participar de todos os debates e buscar ampliar os canais de comunicações com os eleitores, que a medida que for nos conhecendo melhor, sabendo de nossa capacidade e história como gestor, não terá dúvidas na hora de votar”, afirmou.

No que diz respeito ao resultado das pesquisas, José Maranhão disse que elas são importantes para avaliação dos cenários e para estimular ainda mais as atividades da campanha. “Para nós, o que interessa é continuar buscando a confirmação dos eleitores que já optaram pela nossa proposta e também buscar conquistar os indecisos e aumentar nossa intenção de votos para, no dia 7 de outubro, coroarmos este trabalho com a vitória nas urnas”, declarou.

Lucélio Cartaxo

Lucélio Cartaxo (PV), candidato a governador pela coligação ‘A Força da Esperança’, também vai colocar o pé na estrada nesta reta final da campanha, com a intensificação de várias atividades, e buscar conversar ainda mais com as pessoas.

De acordo com o candidato, a base  de sua campanha é o diálogo. “Ele acontece em todas as nossas atividades de campanha e intensificá-lo é algo natural. Existe uma demanda crescente por visitas a municípios, participação em entrevistas e debates, estes já com datas definidas, caminhadas, reuniões”, comentou.

Lucélio Cartaxo disse que vai continuar levando sua mensagem aos paraibanos e apresentado as proposta para administrar a Paraíba. “Construímos um programa de governo pautado nas necessidades da população, nas mais diversas regiões, levando em conta o que ouvimos e o que constatamos. Há muitas faltas a suprir, para que avancemos numa agenda de desenvolvimento real e um projeto de futuro para a Paraíba”, afirmou.

O candidato também não está preocupado com o resultado das pesquisas, mas na apresentação de ações para questões básicas, como o abastecimento de água, temas como segurança e saúde, que inquietam, na verdade afligem a grande maioria da população.

“Só haverá crescimento se o estado for compreendido por inteiro, tratado de forma equilibrada, igualitária, justa, sem perseguições. É sobre isso que temos conversado com milhares de paraibanos e paraibanas. Olhando no olho. Não vamos mudar a forma de avançar com a campanha, porque ela traduz a política na qual a gente acredita: debater a realidade, procurar soluções, buscar as convergências, fazer junto. Isso dá certo. É só olhar pra João Pessoa, pra Campina. Tem que ser assim em todo lugar da Paraíba”, argumentou.

Tárcio Teixeira

Tárcio Teixeira, candidato a governador pelo PSol, também vai intensificar as ações de campanha nesta reta final. Ele afirmou que vai seguir com a programação na mesma intensidade, sem um minuto de descanso.

De acordo com o candidato, que tem percorrido vários municípios paraibanos, serão feitas paradas estratégicas nas cidades e durante as viagens. “No caminho, quando nós estivermos indo para os debates, vamos entregar material em ponto de apoio para ser distribuído em diferentes cidades, intensificando o chamado para as pessoas botarem a cara na campanha e multiplicar cada vez mais os votos e os apoios que a gente precisa para ir para o segundo turno nessas eleições”, comentou.

Tárcio Teixeira disse ainda que pretende manter um pique intenso de mobilização, nos momentos de debates, nas panfletagens, nas reuniões, nos comícios, com as paradas nas estradas para conseguir avançar mais e conquistar o voto dos eleitores indecisos para sua campanha.

Para o candidato do Psol, as pesquisas de intenção de votos estão mostrando uma distância muito grande dos candidatos que estão na disputa, por isso não têm segurança nelas. “Não temos o que mudar em nossa campanha. A única diferença é que a gente vai trabalhar para evitar aquele terrorismo eleitoral que aconteceu nas últimas eleições, quando os partidos que estão na estrutura do Governo e da Prefeitura, ou mesmo na estrutura do Senado, tentam usar as pessoas para fazer medo ou usar o terrorismo eleitoral para que as pessoas se sintam forçadas a decidir seu voto fora do que elas acreditam, para tentar decidir no primeiro turno, então o nome disso é terrorismo eleitoral”, declarou.

Rama Dantas

Rama Dantas, candidata a governadora pelo PSTU, também vai intensificar suas atividade de campanha, com visitas à portas de fábricas, escolas e em praças públicas. A candidata considerou o processo eleitoral muito desigual e que desfavorece aos partidos que representam a classe trabalhadora, como o PSTU. “Uma eleição com um tempo de apenas 45 dias é muito curto. Principalmente para nós, da classe trabalhadora, que temos pouco tempo de TV. Nós entramos nesse processo com uma situação extremamente desigual”, comentou.

De acordo com Rama Dantas, o processo eleitoral é uma farsa e que as regras eleitorais só beneficiam os partidos que detêm o poder econômico. “Para nós, a campanha está direcionada para a construção das lutas da classe trabalhadora, do povo pobre. A nossa campanha é exatamente nesses setores, na porta das escolas, nas portas das fábricas, nas ocupações, nos locais de trabalho, para permitir a construção de um projeto que coloque a classe trabalhadora como agente da sua vida e no comando do país”, declarou.

As atividades de campanha não serão modificadas por conta dos resultados das pesquisas de intenção de votos. Segundo ela, desde o inicia o PSTU vem conclamando a classe trabalhadora para construir um projeto para o Brasil. “Estamos fazendo um chamado aos trabalhadores para construir um processo de indignação no nosso estado, no nosso país, para construir uma grande rebelião para inverter essa ordem capitalista, para fazer com que os de baixo derrubem o de cima e que a gente possa realmente usufruir da riqueza que os trabalhadores produzem”, afirmou.

Relacionadas