sexta, 18 de junho de 2021

Assembléia
Compartilhar:

Viagens comprometem o dia de trabalho na Assembleia Legislativa da Paraíba

Alexandre Kito / 11 de maio de 2017
Foto: ANDRÉ GOMES
A ausência dos deputados na Assembleia Legislativa não permitiu que o quórum fosse suficiente para votações de matérias durante a sessão ordinária de ontem. Muitos decidiram viajar para cumprir compromissos em outras cidades. É o caso de alguns parlamentares governistas, que acompanharam o governador Ricardo Coutinho (PSB) na região do Curimataú, para apresentar obras. Os petistas se ausentaram para viajar a Curitiba e acompanhar de perto o depoimento do ex-presidente Lula (PT).

Os poucos deputados que estavam presentes no expediente criticaram a falta dos colegas, que impediu as atividades no parlamento. O tucano Bruno Cunha Lima ocupou a tribuna do plenário para criticar a viagem de Anísio Maia e Frei Anastácio, ambos do PT, para o Paraná, apenas para prestar solidariedade ao ex-presidente petista. O deputado questionou quem estaria custeando os gastos da ida de manifestantes e apoiadores de Lula à Curitiba para acompanhar o depoimento ao juiz Sérgio Moro. “Eu fiquei indagando quem paga todos esses custos para o descolamento dessa massa”, disse o parlamentar.

No segundo expediente, os servidores da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB) estiveram na Casa para pedir apoio aos deputados presentes na busca de melhorias salariais da categoria. Eles estavam reivindicando, além de salários, melhorias de trabalhos e na estrutura física da instituição. Apoiados por alguns deputados de oposição, eles dialogaram com a socialista Estela Bezerra - única deputada governista presente no momento - que garantiu intermediar a discussão entre os funcionários e o governador do Estado. Durante o debate, os parlamentares das bancadas se desentenderam e houve ‘bate boca’ entre eles na Casa. As críticas feitas pelos deputados Janduhy Carneiro (Podemos), Camila Toscano (PSDB) e João Henrique ao Governo Estadual irritaram Estela Bezerra, que acusou o grupo oposicionista de querer formar um ‘ palanque político’ para garantir o prestígio dos servidores. Sem resposta convincente, os deputados de oposição justificaram que os funcionários da UEPB não estão tendo o apoio do Executivo Estadual e por isso estavam, na ocasião, fazendo o apelo. Os parlamentares presentes também aproveitaram a tribuna livre para fazer discurso com fins eleitoreiros.

Leia Mais

Relacionadas